Platinices

Cada vez que o francês abre a boca mete água na fervura dos adeptos de futebol que já pouco podem com ele. Depois de achar que era benéfico introduzir o cartão azul (como no hóquei), que correspondia a uma sanção temporária no decorrer do jogo (5 minutos ou 10 minutos era a proposta), agora vem defender que a lei da punição da grande penalidade deve ser revista e que a expulsão aquando desta infracção deve ser retirada, por prejudicar triplamente (é marcado o penálti, a equipa fica com menos um jogador e esse atleta ainda falha o jogo seguinte) a equipa contra quem é marcada a penalidade.

Pois bem, se já era absurdo as suspensões em termos de alguns minutos, a não admoestação de cartões vermelhos de penaltis abriria um precedente muito grave, uma vez que para evitar um golo adversário bastaria cortar a bola com a mão dentro da área (não levando essa falta a expulsão, o penálti ainda pode ser falhado), o que me leva a querer que daqui em diante todos os jogadores receberiam treino específico de guarda-redes.

Para nossa sorte (ou azar), a mudança deste tipo de regras depende da FIFA e esse organismo é também liderado por alguém com as ideias pouco colocadas no lugar (lembro que Blatter apoiou veementemente a primeira ideia e sugeriu que se testasse no pós mundial do Brasil) e que pode mesmo levar a que o futebol se torne um absurdo.

Anúncios

Pertinências

Pouco destaque na imprensa internacional. Enquanto o Zlatan diz que o mundial sem ele não merece ser visto e a Pepsi diverte-se a fazer vodus ao Ronaldo, o roubo voltou a marcar presença no Saint Denis, como de resto, eu esperava e aqui insinuei no sábado.

Voltemos atrás para ajudar à compreensão dos pensamentos mais profundos do líder da UEFA Michel Platini:

– Michel Platini, Presidente da UEFA, revelou a ideia de se gravarem as conversas entre os cinco árbitros nos jogos da Liga dos Campeões e Liga Europa na próxima época. Michel Platini, que continua contra o recurso a imagens televisivas, não acredita que não “tenha havido um árbitro que não tenha visto a falta de Muller do Bayern de Munique sobre Jordi Alba, do Barcelona, nas meias-finais da Champions” – o timing das declarações do líder da UEFA são só por si reveladores de terceiras intenções, visto que, na eliminatória anterior à que foi visada pelas mesmas, o Borússia de Dortmund conseguiu eliminar o Málaga com a ajudinha do Sr. do apito. Nessa eliminatória, mesmo perante as acusações do proprietário do Málaga Abdullah bin Nasser bin Al Thani de “racismo” por parte do organismo, Platini não abriu a boca para afirmar o quer que fosse.

benzema

Apesar do jogo de ontem entre a França e a Ucrânia ser da tutela da FIFA, como Platini teve oportunidade de dizer ao L´Equipe, e do mesmo não conhecer o árbitro da partida (o esloveno Damir Skomina). Tomando como ponto de partida as palavras do líder da UEFA, não consigo perceber como tantas almas não conseguiram ver o acampamento montado por Benzema na área ucraniana, o penalty na área francesa e o fora-de-jogo de Valbuena na jogada que antecede o 3º golo francês. Em contrapartida, foram lestos em expulsar o central Khacheridi num timing perfeito, tão perfeito como os relógios suiços, aos 47 minutos, com 2-0 para os franceses. Está claro que meia imprensa jornalística francesa calou-se, semelhando a postura tida aquando do golo de Thierry Henry que eliminou os Irlandeses de Old Trap do último campeonato do Mundo. Postura essa que até agora teve a sua réplica no líder da UEFA, facto que à luz do que escrevi ali em cima parece soar novamente de forma estranha e tendenciosa.