O que eu ando a ver #47

As imagens são péssimas mas demonstram o mimo brindado por um jogador dos Avalanches a um dos árbitros da partida no jogo desta madrugada frente aos Campeões em título, os Blackhawks.

Anúncios

O que eu ando a ver #25

Streak negativo para os Blackhawks nesta fase da época. 4 derrotas (1 no overtime) e apenas uma vitória nos últimos 5 jogos.

Vindos de uma vitória frente aos Edmonton Oilers, os campeões em título tentavam recuperar dos desaires obtidos neste início de ano com uma vitória frente aos complicados Colorado Avalanche, equipa que neste momento ocupa o 5º lugar da conferência oeste e que de resto já tinha vencido os Hawks por uma ocasião esta temporada em casa por 5-1 a 19 de Novembro. A 27 de Dezembro, no United Center, os campeões em títulos golearam por 7-2 com um hat-trick do sensacional Patrick Sharp.

Corey Crawford regressou na baliza de Chicago após lesão que o obrigou a ficar de fora durante 2 meses. Do outro lado, o russo Semyon Varlamov fez uma exibição de gala, parando 46 dos 48 remates feitos pela equipa de Chicago. O russo é o substituto de Jean-Sebastien Giguerre.

No primeiro período, domínio completo da equipa do Colorado coroado com 2 golos: primeiro por Tyson Barrie, segundo por Ryan O´Reilly (17º golo da época), ambos em dois soberbos wrist shots. A reacção dos Blackhawks apareceu nos períodos seguintes com golos de Johnny Oduya (2º) e Andrew Shaw no terceiro período. O golo de Shaw, a sensivelmente 13 minutos do fim da partida, foi efusivamente festejado pelo jogador e pelos fãs da equipa numa das tabelas, facto que indiciava que os Blackhawks queriam evitar o overtime.

No 4×4 do prolongamento, o capitão Jonathan Toews cometeu o pecado capital: num lance em que não conseguiu rematar em zona central (falhou por completo o puck) permitiu que André Benoit interceptasse o puck e de seguida puxou a camisola do jogador dos Avalanche. A dupla de árbitros enviou o capitão dos Blackhawks para a caixa de penalidade por 2 minutos a 1:34 do fim da partida, passando a equipa do estado do Colorado a jogar com 4 unidades contra 3. A superioridade numérica haveria de ser decisiva no desfecho final da partida pois decorridos 35 segundos da penalidade, Tyson Barrie haveria de corresponder na perfeição ao passe de Matt Duchene para o golo da vitória dos Avalanche no jogo.

Os Hawks continuam na 2ª posição da conferência Oeste, a 6 pontos dos Anaheim Ducks.

O que eu ando a ver #18

Os campeões em título Chicago Blackhawks terminaram o ano de 2013 da melhor maneira com uma vitória sofrida (mas saborosa) sobre os candidatos Los Angeles Kings por 1-o com um golo de Brandon Saad. Saad está num hot-streak com 6 golos nos últimos 11 jogos.

Jogo muito difícil para os hawks no ringue instalado no United Center num dia em que os outros fregueses do pavilhão (os Chicago Bulls) foram ganhar a Memphis. Os Kings atacaram como puderam a baliza do finlandês Aanti Raanta, habitual suplente do mítico Corey Crawford (lesionado) tendo o finlandês conseguido o primeiro shutout da sua jovem carreira (25 remates dos Kings). A equipa de Los Angeles dispôs de um penalty shot (defendido por Raanta) e viu a arbitragem negar um penalty shot claríssimo à equipa de Chicago num lance em que Jeff Carter fez uma gravata a Jonathan Toews numa jogada em que o Center de Chicago ia isolado para a baliza.

Saliento também outra das ocorrências do jogo a título de curiosidade – Da penalidade menor assinalada a Carter no lance com Toews surgiu uma situação de 2 minutos em powerplay (1 jogador a mais para a equipa) onde os Blackhawks viram um golo anulado por stick alto num desvio de um jogador a um remate – a regra da NHL é clara nestes lances: os remates à baliza ou desvios feitos a remates devem ser feitos no máximo à altura do travessão da baliza. Com dúvidas no lance, a arbitragem pediu ajuda ao Centro de Controlo de Decisões da Liga, em Toronto, cumprindo a regra 38 do jogo. Acresce referir que os videoárbitros que se encontram na cidade canadiana monitorizam a legalidade de todos os golos e a sua monitorização pode ser requerida pelos árbitros de todas as partidas da NHL para todos os lances onde suscitem dúvidas.

Os Chicago Blackhawks acabam o ano na liderança da conferência Oeste com 63 pontos em 42 partidas. Como tal também têm, para já, o melhor score da liga.

2. Uma particularidade da máquina de marketing que é feita na NHL.

NHL

Os Hawks fizeram uma edição limitada para os seus adeptos dos anéis de campeões que foram dados no início da época a todos os jogadores campeões em 2013. Esta edição tem fins solidários.

3. O habitual Winter Classic:

winter classic

No dia de ano no novo, a NHL leva a cabo pela 6ª vez na sua história o Winter Classic, jogo oficial realizado num estádio a céu aberto. Amanhã, no Michigan Stadium em Detroit, duas das equipas fundadoras da Stanley Cup (Toronto Maple Leafs e Detroit Red Wings) no século XIX irão defrontar-se para a fase regular num jogo que se prevê ter uma assistência de 40800 pessoas.

 

 

O que eu ando a ver #6

voz-off: Este Chris Neil é um diabo do caraças.

voz-off 2: Foi um prazer ver um jogo vosso novamente Pavel Datsyuk, Johan Frentzen , Mikael Samuelsson, Henrik Zetterberg e Daniel Alfredsson – é bom saber que ainda estão vivos e que ainda jogam. Efeito Maldini – já jogo NHL desde o velhinho 97 e vejo acompanho regularmente a NHL desde 2000 ou 2001. Parece que nunca conheci outra geração nos Red Wings que não esta.

voz-off 3: Jogo Viril. Dos mais duros que vi até hoje (não comporta todos os jogos onde vi o Brendan Shanahan sacar fora as luvas para mandar umas arrochadas no primeiro que dissesse um ai)