NBA 2013\2014 #43

Noah, Augustin, Gibson – confiança. Pura confiança. O primeiro com mais um triplo-duplo (10 pontos\11 resssaltos\11 assistências). O segundo com 26 pontos vindos do banco. O terceiro com 22 pontos vindos do banco. Para uma equipa que era criticada por não ter soluções de banco (50 pontos\4 jogadores utilizados\Nazr Mohammed não marcou qualquer ponto) pode-se dizer que neste momento é o banco da liga com maior rendimento.

2. Apuramento com estilo.

Indiana Pacers

Pese embora o cabaz que a equipa de Indianápolis apanhou dos Bobcats (109-87 em Charlotte). Primeira equipa apurada para os playoffs. O que equivale a dizer que o primeiro objectivo programado para a época está cumprido. O segundo objectivo (vencer a fase regular da conferência este) está dificultado. Com um score de 46-15 e com Miami a apertar os calcanhares 43-15, a ver vamos se a equipa de Indiana aguenta a pressão dos bicampeões. Para aguçar ainda mais a pressão sentida pela equipa de Vogel, é bom recordar que caso Indiana vença a fase regular e caso dispute as finais de conferência como prevejo contra os Heat, terá a vantagem de realizar o 7º jogo em casa. O dito 7º jogo que escapou aos Pacers na temporada passada no duelo contra a equipa de Miami.

jefferson

Al Jefferson com 34 pontos e 8 ressaltos voltou a estar em destaque na renovada equipa de Charlotte. Jefferson está a justificar todos os cêntimos que aufere no final do mês. Está a fazer a melhor temporada da sua carreira.

3. On board

nash

No seu habitual Morning ShootAround no HangTime, Sekou Smith faz menção ao 2º episódio da saga “The Finish Line”, uma série de episódios realizados em torno de Steve Nash nos quais o canadiano fala sobre a sua vida e sobre a sua extensa carreira na NBA.

Sekou Smith vai buscar as palavras escritas no Bleacher Report por Kevin Ding para hipotetizar sobre o futuro do base canadiano nos Los Angeles Lakers. Segundo Smith, Nash não será dispensado no final do ano. Os Lakers irão dar-lhe uma última oportunidade para recuperar das lesões que tem padecido esta época.

4. Recordes

kyle korver

Terminou o recorde de Kyle Korver. O shooter de Atlanta estava há 127 jogos consecutivos a marcar pelo menos um triplo por jogo.

Anúncios

NBA 2013\2014 #37

Tardio. Para quem não tenha visto em directo na madrugada de domingo para segunda, aqui fica.

2. Passado que está o all-star game, vem aí o deadline day. O “mercado” de trocas fecha no dia 21. Nos últimos dias, a liga tem assistido à plantação de vários rumores e às declarações de interesses de várias equipas. Algumas tentam desfazer-se de jogadores que terminam contrato no verão para poderem ganhar alguma coisa com eles ou poderem livrar salários do seu cap de forma a poderem atacar jogadores livres em Julho enquanto outras ainda procuram uma mais-valia para o seu plantel. Eis a análise aos rumores que tenho visto nos últimos dias:

2.1 O Hangtime publicou há minutos que Sacramento Kings e Brooklyn Nets estão em negociações avançadas tendo em vista a troca do base Marcus Thornton pelo SG Jason Terry e pelo poste Reggie Evans.
A mesma fonte referiu que a equipa de Sacramento também está a negociar Jimmer Fredette com várias equipas.

2.2 – Regresso a Nova Iorque?

Lin

Jeremy Lin poderá voltar à casa que o viu despontar para a liga na época 2011-2012. O Hangtime não afirma para já se os Knicks apresentaram alguma oferta aos Houston Rockets para fazer regressar o base. Durante esta temporada, foi notória a ausência de um base organizador de jogo na equipa de Nova Iorque. Lin encaixa bem no perfil desejado para a posição pela equipa de Nova Iorque. Poderão estar aqui a preparar o futuro, já que esta temporada está irremediavelmente perdida.

2.3 – Utah gostaria de contar com Rajon Rondo quando o base regressar de lesão. Os Celtics estão interessado em Gordon Hayward. O base dos Jazz é insuficiente para os Celtics. Há um rumor que afirma que os Celtics ofereceram Jeff Green aos Celtics na troca por Hayward e escolhas de draft, proposta que foi rejeitada pelos Jazz pelo simples facto de não estarem interessados no extremo da equipa de Boston.

2.4 Dalton Russell escreve na Yahoo Sports (sports.yahoo.com/news/chicago-bulls-eyes-thunder-39-russell-westbrook-derrick-163900222–nba.html) a possibilidade de Chicago avançar para a contratação de Russell Westbrook enquanto Derrick Rose recupera de lesão. Este rumor não tem fundamento porque:

  • Depois da troca de Luol Deng, as contas de Chicago estão a ser feitas ao cêntimo para a equipa poder evitar o 2º ano consecutivo a pagar luxury tax. Pagando luxury tax nesta e na próxima época, a equipa de Chicago seria penalizada com mais impostos. O motivo que levou à troca com os Cavs foi precisamente a necessidade de salvaguardar a possibilidade de não pagar luxury tax esta época para poder limpar o “histórico” na próxima e, assim poder ultrapassar o tecto salarial máximo imposto pela liga nas próximas 2 épocas sem haver direito a penalização. Creio portanto que a possível contratação de Russell Westbrook por um pacote salarial nunca inferior a 100 milhões de dólares por 5 temporadas ou 80 milhões por 4 temporadas iria anular por completo a estratégia delineada na troca de Deng.
  • Derrick Rose continua a ser a aposta da equipa apesar das lesões. Não faria sentido nenhum contratar Russell Westbrook para jogar apenas por uns meses na equipa. DJ Augustin entrou muito bem na equipa. Perante a possibilidade da equipa não renovar com Kirk Hinrich no final da temporada, o base deverá ser brindado com uma proposta de renovação até 8 milhões de dólares por 2 temporadas (4M\época) para ser o titular da equipa na próxima temporada até à re-inserção de Rose e 6th man quando o #1 reassumir a sua posição. Resta saber que se alguém na liga estará na disposição de lhe dar melhores condições salariais e o estatuto de titular.
  • Os Thunder não irão abdicar de uma das suas maiores estrelas por tuta e meia. Se existir algum interesse da equipa de Oklahoma num jogador de Chicago, só poderá ser em Joakim Noah visto que seria a master pièce no 5 base de Oklahoma City. O francês é neste momento inegociável para Chicago.

love

2.5 – Os Dallas Mavericks poderão estar a preparar uma investida sobre Kevin Love dos Minnesota Timberwolves. Vários rumores tem afirmado que o poste poderá juntar-se aos Lakers no final do seu contrato com os Wolves ou seja, em 2015\2016. Os Lakers poderão antecipar esse cenário caso apresentem uma boa proposta à equipa do Estado de Minnesota na próxima época. Até lá, não dispõe de qualquer elemento sob contrato capaz de satisfazer as pretensões dos Timberwolves. O dinheiro não parece ser problema para Mark Cuban. O problema põe-se quanto ao pacote de jogadores que Dallas poderá oferecer aos Wolves sabendo que estes não irão querer a ficar a perder no negócio. Se Vince Carter e Shaun Marion são demasiado velhos para encaixar no “modelo jovem” composto pela equipa de Mineapolis, outros jogadores que poderão ser oferecidos como Monta Ellis ou o base Calderón não interessam à equipa visto que seriam jogadores demasiado caros para estarem tapados pelos titulares da equipa (Kevin Martin e Ricky Rúbio respectivamente).

2.6 – O Bleacher Report avança que, mês e meio depois de ter sido contrato pelos Cavs, Luol Deng poderá ser trocado ou mesmo dispensado pela equipa de Cleveland.Como Luol Deng se irá tornar free-agent no final da temporada, os Cleveland Cavaliers temem não ter capacidade financeira para segurar o extremo em Cleveland. Como tal, poderão testar já as ofertas de eventuais interessados no jogador.

3. Análise

Bleacher Report – Adam Fromal sobre o rookie de Milwaukee Gianni Antetokounmpo. Facto incrível mencionado sobre a evolução do jovem de 19 anos na equipa de Milwaukee foi o crescimento (em altura) obtido nos meses em que está com a equipa.

4. Injury Depot

4.1 Tony Parker – San Antonio Spurs – 2 jogos – lesão no queixoApesar da ausência do base, os Spurs venceram os Los Angeles Clippers esta madrugada no Stapples Center num jogo em que Tim Duncan fez 17 pontos, 7 assistências e 13 ressaltos e o italiano Marco Belinelli voltou a confirmar o seu melhor momento da temporada com 20 pontos.

4.2 LaMarcus Aldridge – Portland Trail Blazers – 1 semana.

4.3 – Isaiah Thomas – Sacramento Kings – indeterminado.

4.4 Dion Waiters – Cleveland Cavaliers – indeterminado.

5. Extra-NBA.

A TNT colocou um dos seus actuais comentadores, o antigo basquetebolista Charles Barkley a entrevistar o presidente Norte-Americano Barack Obama. Aqui fica um excerto da entrevista na qual o comentador e o presidente falaram sobre Basquetebol e Política.

NBA 2013\2014 #33

O jogo já estava a correr mal para os Bulls de Tom Thibodeau em Sacramento. O poste Joakim Noah decidiu piorar o cenário quando pintou a manta junto dos árbitros e foi expulso. Os resultados foram óbvios: mais uma péssima exibição ofensiva dos Bulls na derrota por 99-70 frente aos Kings.

2. O “excentrico” Mark Cuban

cuban

Diz-se que o proprietário dos Dallas Mavericks cheira filões de ouro a léguas. Voltou a estar nas bocas do mundo nos últimos dias ao apostar num safety na primeira jogada da final do Superbowl. E com a aposta aumentou a sua fortuna em 20 milhões de dólares.

3. A possível troca entre Lakers e Suns:

gasol 1

gasol 2

4. On board:

david stern

A semana trouxe a notícia do abandono de funções de David Stern enquanto Comissário da Liga no preciso momento em que fez 30 anos no cargo. A longa era Stern deu à liga quase tudo o que aquilo ela é hoje: o profissionalismo, a globalização do jogo e a espectacularidade. Com David Stern enquanto comissário, a liga passou a ser assumidamente profissional, foram criados mais 7 franchises, as receitas aumentaram em cerca de 30%, a NBA passou a ser palco dos melhores jogadores de todo o mundo, as transmissões do maior basquetebol do mundo são exibidas em quase todos os países do mundo, criou-se a WNBA e a D-League, criou-se e expandiu-se a rede de solidariedade da Liga com os programas da NBA Cares, foi assinado o primeiro protocolo anti-drogas na Liga, a NBA disputou pela primeira vez jogos fora dos Estados Unidos (tanto contra equipas não-americanas na pré-época como na sua fase regular) e a liga criou as suas diversas plataformas digitais (site da NBA, da WNBA, NBA league passe, NBA mobile, NBA D-League.com, NBA TV) que tanto jeito dão para a a divulgação das marcas, dos jogadores, para a angariação de receitas para as equipas, para as liga, para os jogadores e que tanto basquetebol divulgam junto de quem sustenta a existência da Liga: os amantes de basquetebol.

David Stern deixa todo este legado e faz aumentar a exigência junto de Adam Silver, o homem que irá ocupar o seu lugar muito em breve.

NBA 2013\2014 #3

1. Os Jazz deixaram de ser o saco de pancada da Liga e conseguiram ontem a primeira vitória na competição. Al Jefferson
é que foi fino. Para não levar tantas doses, mudou-se para Charlotte. Tem uma maior possibilidade de ganhar mais 3 ou 4 que jogos do que teria em Utah.

2. Os Nets estão em desespero após um 2-5 inicial. Noutras andanças já se diz à boca pequena que a saída de Jason Kidd poderá dar-se nos próximos jogos. Penso que o problema não é Jason Kidd. No mundo do desporto é normal ver grandes jogadores ou atletas fracassarem enquanto treinadores e, jogadores que não foram profissionais ou tiveram carreiras medíocres conseguirem carreiras vitoriosas enquanto treinadores. Não concordo com o argumento que muitos defendem ao considerar a passagem de Kidd de jogador a treinador principal um acto demasiado rápido. Não concordo porque quem acompanhou Kidd sabe perfeitamente que este, enquanto jogador, foi o braço direito de muitos treinadores no campo e desempenhou durante muitas décadas o papel de líder absoluto das equipas por onde passou. Creio portanto que as últimas épocas serviram para Kidd fazer suavemente a transição de papéis. Assim sendo, não tenho dúvidas que se tornará um bom treinador. O grande problema dos Nets é o problema existente em muitas equipas da liga: o dinheiro não traz felicidade. Pensei que a chegada de Garnett e Pierce trouxessem um maior senso de colectivo à equipa. Enganei-me. Quando a equipa está a ganhar disfarça uma das suas realidades: a inexistência de um jogo colectivo firme. Aquilo a que os americanos chamam de “chemistry” Quando a equipa está a perder, é cada um por si. Deron Williams perde a sua capacidade de decisão, Garnett começa a lançar à toa, Joe Johnson idem. É nisso que Kidd terá que trabalhar para conseguir levar os Nets ao patamar desejado.

3. Minnesota. Ricky Rubio. Um show. É pena que os Wolves não tenham capacidades para manter esta equipa. Há ali gente com muito talento que rapidamente se irá aperceber que ali jamais irão vencer o quer que seja. Rubio, Love e Pekovic são os 3 casos mais veementes numa equipa que tem procurado construir soluções que lhe permitam alcançar os playoffs. Contudo, os postes da equipa já tem rendimentos muito aceitáveis no seio da equipa.

Contudo, o caso de Kevin Love faz-me lembrar o caso Garnett. Na NBA, o dinheiro não é tudo.

4. De Detroit. Há alguns dias atrás vi um jogo de Detroit em que apareceram duas campanhas curiosas. Com a cidade mergulhada num medonho processo de insolvência colectiva, num estado com cerca de 3 milhões de desempregados e com um exodo de pessoas para outros estados americanos estimado nos 2 milhões de pessoas nos últimos 3 anos, os Pistons tem sofrido com a falta de público no Palace of Auburn Hills. O franchising foi o que mais perdeu na liga nas últimas épocas, financeiramente falando. Apenas conseguiram um lucro de 27 milhões de dólares nas últimas 5 temporadas, sendo que a partir de 2009 estão a acumular prejuízos. Recordo que Detroit foi um dos franchisings que mais se opôs às pretensões dos jogadores durante a questão dos contratos colectivos que levou ao lock-out no início da temporada 11\12, fruto da falta de capacidade do franchising para continuar a cumprir a regra que obrigava até então o pagamento de 57,5% dos lucros da equipa aos seus jogadores. Voltando ao jogo. Como o Palace of Auburn Hills tem a 3ª pior média de espectadores da NBA (apenas superado pelo clássicos problemas de New Orleans e Charlotte) os Pistons tem campanhas em certos day events que se podem catalogar de “NBA for free” – nesse jogo, apregoaram 2 packs interessantes: o primeiro que garantia a 4 pessoas bilhete para o jogo, 1 pizza grande e 4 refrigerantes grandes por 46 dólares e outro que garantia a grupos de 8 bilhetes por 64 dólares.

5.

nets

16 de Janeiro – O2 Arena, London – Nets vs Hawks (temporada regular) – Aqui não existem borlas! Os bilhetes vão das 40 libras às 250 libras.