Superbock! Fresquinha! #61

Tudo ao Molho! –

Bruno

Bruno de Carvalho foi esta noite ao programa SIC Notícias dar um autêntico “show de bola” fora das 4 linhas… Com a ironia que lhe é característica, o presidente do Sporting analisou a actualidade do futebol português e do clube leonino nas respostas efectuadas às “armadilhadas” (algumas foram mesmo ridículas) perguntas feitas pelo jornalista Paulo Garcia.

A entrevista começou como não poderia deixar de ser com a questão da praxe: o celeuma levantado pelo atraso do FC Porto no jogo contra o Marítimo para a Taça da Liga. Bruno de Carvalho referiu que é uma injustiça se a decisão que amanhã é anunciada pelo Conselho de Disciplina não der razão ao Sporting. O presidente do Sporting motivou a sua posição ao considerar a justificação apresentada pelos dirigentes do FC Porto como uma desculpa esfarrapada: “A conta do Fernando bate mal. Desculpa pobre, de mau pagador. E nem essa é boa, que foi inventada… Em terra de cegos, quem tem olho é rei, mas o rei também falha. Nem as horas batem certo…” – o presidente do Sporting não se coibiu a proferir algumas palavras em relação ao dito “sistema” que é comandado pelo FC Porto. BdC afirmou que o conhecimento que o público tem do dito sistema não bate certo com a realidade. Do “sofisticado sistema que toda a gente pensa ser uma estrutura com ramificações afinal é do mais bacoco possível”. E com isto o presidente do Sporting foi, na minha opinião o mais simples possível: o sistema passa apenas pela colocação (por parte dos clubes) de marionetes de confiança dentro das instituições que gerem o futebol de forma a poderem manobrar o rumo do futebol português a seu belo prazer.

No que concerne ao documento que o Sporting enviou para vários órgãos (desportivos e políticos), o presidente do Sporting rejeitou que o emblema de Alvalade tenha como objectivo categórico a imposição da sua própria lei, voltando a reiterar que o Sporting (e os vários clubes que já associaram à discussão promovida pelo clube de Alvalade nas últimas semanas) pretendem modificar as bases em que está assente o futebol português de forma a melhorá-lo: O Sporting está neste momento em algo que envolve muitos clubes, que é um trabalho sério em prol do futebol. Não tenha dúvidas, se o futebol quiser avançar, é preciso atrair pessoas. Gente mais nova… Ou o futebol muda, ou atraímos a mesma coisa de sempre. Ou muda e passa a respirar, ou não muda e vamos continuar na mesma como a lesma. Uns falam, são filhos; outros falam e são enteados. O Sporting estará cá para fazer mais e melhor. Em vez de andar sempre a queixar-me, vou impulsionar um movimento positivo para mudar o futebol. Podem decidir o que quiserem, dar um tratamento diferente, mas água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Não tenha dúvidas de que as coisas vão mudar”

O assunto debatido puxou obrigatoriamente para o diálogo Vitor Pereira. O presidente do Sporting foi concludente na análise às declarações que o presidente do CA proferiu no final da reunião tida com as mais altas instâncias da FPF: “Transmiti aquilo que depois apareceu na documentação do Sporting. Essa reunião foi normalíssima, onde ele ouviu. Tivemos essa conversa e depois, como se costuma dizer, ‘as palavras leva-as o vento’. O Sporting acaba de apresentar a documentação e foi o que se viu. Dizer que as propostas do Sporting não melhora o futebol. Não é bonito, mas há tanta coisa que não o é…” e Vitor Pereira levou Paulo Garcia a interrogar o presidente do Sporting sobre as arbitragens. Este não teve problemas em meter o dedo na ferida ao afirmar que foi “anjinho” por ter falado da maneira que falou depois do jogo da Taça de Portugal contra o Benfica e da Liga contra o Nacional. Para melhor explicar o seu argumento, Bruno de Carvalho recorreu a dois casos análogos ocorridos com presidentes de outros clubes. O presidente do Sporting referiu que quando proferiu as duras críticas à arbitragem de Manuel Mota no Sporting vs Nacional viu o presidente da APAF pedir publicamente uma “punição exemplar para o presidente do Sporting” – Contudo, quando o presidente do FC Porto veio dar uma entrevista onde criticou a arbitragem de um jogo do Porto, ninguém pediu uma punição exemplar para as declarações do mesmo. Ou quando o presidente do Braga, na passada quinta-feira, falou o que falou da arbitragem de Olegário Benquerença em Vila do Conde, ninguém pediu uma punição exemplar.
O presidente do Sporting aproveitou a deixa para alfinetar mais uma vez Vitor Pereira, ao afirmar que quando o Sporting reclama das arbitragens, nem Vitor Pereira nem os árbitros vem a público falar sobre o assunto ou mostrar arrependimento. BdC realçou que o mesmo não se passou noutras ocasiões, referindo que de vez em quando aparecem árbitros a mostrar arrependimento de algumas das decisões que tomam.

Esgotado o conteúdo do quente período introdutório, Paulo Garcia rodou o disco e puxou a conversa para o quotidiano do clube leonino. Sobre o caso de Elias, o presidente do Sporting respondeu que o jogador brasileiro e o “pai\empresário tentaram montaram uma estratégia” contra o clube de Alvalade que, se limitou a defender os seus interesses. “Sou conhecido como o presidente dos comunicados. Acho que me vou divertir quando explicar o que foi todo o processo do Elias. Ao nível do que se escrito sobre o Elias e sobre tudo tem sido tão ridículo mas explicarei tudo. Por vezes leio tudo sobre o Elias e devo pensar que o presidente do Sporting é atrasado mental e depois percebo que afinal se trata de mim”, disparou em tom sarcástico. Aproveitando a deixa e a pergunta de Paulo Garcia em relação à possibilidade de ter que vender alguns jogadores para manter o clube sustentável no seu plano financeiro, Bruno de Carvalhou deixou óbvio que “alguns clubes” já se aperceberam que em Alvalade mora gente que não está disposta a vender as jóias da coroa a preços de saldo. Neste capítulo, o presidente do Sporting chegou mesmo a afirmar que grande parte dos clubes que visitam alvalade para observar os jogadores do Sporting já sabem que só terão feedback da SAD leonina se apresentarem propostas vantajosas para o clube de Alvalade. Ou seja, os clubes já se aperceberam que o Sporting realizou algumas mudanças e como tal, relacionam-se de forma diferente com o clube leonino.

Paulo Garcia proporcionou o momento imbecil da noite quando perguntou se Bruno de Carvalho ia oferecer um “relvado novo a Leonardo Jardim como presente da época que o treinador está a realizar no comando do clube” e se o presidente concordava com a tomada de posição tomada pelo seu treinador ao não poupar jogadores em risco de sanção disciplinar. O jornalista da SIC questionou se a estrutura profissional do Sporting tinha gerido mal a questão dos amarelos de William Carvalho. BdC respondeu categoricamente, partindo de um argumento base: “Leonardo Jardim foi uma escolha pessoal. O Sporting necessitava de um treinador que demonstrasse trabalho, exigência (…) se ele não concorda, eu também não concordo”

Anúncios

breve

O pai de Elias (Eliseu Trindade) comunicou que o jogador voltou a fazer uma acção conjunta contra o Sporting na FIFA e na UEFA relativa a salários em atraso.

Sinceramente pensei que, ao ser reintegrado na equipa B depois do término do empréstimo ao Flamengo e, por outro lado, enquanto o Sporting espera uma proposta minimamente vantajosa para vender o jogador, a SAD do Sporting lhe estivesse a pagar o salário, coisa que de facto não está.

Bruno de Carvalho é neste momento o vendedor. Bruno de Carvalho afirmou que com a sua chegada à presidência do clube, tinham acabado os “saldos”, isto é, a venda ao desbarato de jogadores. Quer queiramos quer não, pelo que fez no passado, Elias é um jogador bem cotado e com mercado no Brasil. E não só, tomando em conta as propostas que chegaram da China, da Rússia e do Valência. Contudo, nenhuma das propostas satisfez quem tem os direitos desportivos do jogador. Existe portanto a necessidade de traçar a distinção entre direitos desportivos (federativos) e direitos económicos (percentagens do passe de propriedade) sobre o jogador. Detendo a maioria percentual do passe do jogador (direitos económicos) e os actuais direitos desportivos do jogador, o fundo de investimento que detém o resto do passe de Elias bem pode aceitar as propostas que quiser. O Sporting aceitou uma proposta superior ao valor pedido vinda da China. Elias não quis ser transferido para o clube chinês. Valência, Corinthians, Rubin Kazan e Flamengo não apresentaram até agora uma proposta igual ou superior ao valor estipulado pelo clube leonino. 7.5 milhões por 50% do passe é a parada mínima. A última proposta do Flamengo não chegou aos 6 milhões por 50% do passe, pagos em 4 prestações. Logo, Bruno de Carvalho como bom vendedor que pretende ser, tem todo o direito a não vender o jogador.

É eticamente reprovável e juridicamente condenável o facto do Sporting não ter cumprido e não estar a cumprir as obrigações que teve e tem perante o jogador. É legítimo que este avance para quem de direito para poder receber aquilo que é seu. Elias aufere cerca de 150 mil euros por mês. Tais valores saem completamente fora das possibilidades financeiras actuais do Sporting. Não creio portanto que os dirigentes do Sporting estejam a agir de má-fé perante o jogador nesta situação até porque, como é do conhecimento público, o Sporting poderá não apresentar capacidades financeiras para cumprir as suas responsabilidades perante Elias. Tão pouco deverá querer abdicar de pagar a outros jogadores do plantel ou fornecedores para o poder fazer junto de um jogador que neste momento não faz parte das contas da estrutura profissional de futebol.
O que não invalida que manchado fique o bom nome e a credibilidade da instituição.

no brasil

Adriano

1. O Atlético Paranaense anunciou hoje a contratação de Adriano, o imperador. O antigo internacional brasileiro já se encontrava a treinar em Coritiba desde o passado mês de Dezembro. Foi inscrito para a Libertadores, o principal objectivo da equipa na época 2014. Adriano irá ganhar qualquer coisa como 100 mil reais por mês (35 mil euros).

2. Passou ao lado de meia imprensa em Portugal. Teve destaque numa nota de rodapé do Jornal A Bola e num artigo de meia dúzia de linhas na última página do Record de domingo. Alegadamente, o Corinthians terá oferecido Alexandre Pato ao Sporting na troca por Elias. Quem o afirmou foi o Globoesporte. A notícia carece de confirmação oficial do Sporting. Porém, o internacional brasileiro já rumou por empréstimo para o São Paulo.

Superbock! Fresquinha! #26

Tudo ao Molho! –

Para o Sporting, o grande erro não será manter Elias a treinar à parte na equipa B ou despachá-lo para o Flamengo por 3 milhões de euros. Por mim ia de patins a custo zero. O grande erro já foi cometido quando Godinho Lopes decidiu (barbaramente) dar o que deu ao Atlético de Madrid no acto da sua contratação.

8.5 milhões mais os 1,6 milhões pagos por época ao jogador mais os altíssimos prémios de jogo e objectivos que o jogador contratualizou. Até ao momento, cerca de 12 milhões de euros por um jogador que, aquando da sua transferência era um dispensado da equipa Colchonera por ser extra-comunitário (0 4º; como tal passível de não ser inscrito na liga espanhola) e, em virtude da sua utilização na pré-eliminatória da Liga Europa, impossível de ser inscrito pelo Sporting na competição.

Desportivamente, 12 milhões gastos num jogador que não fez rigorosamente nada para justificar o valor investido.

Esta cerveja enfeitiçou-me!

Jaime Poulson

No rescaldo da ronda da Taça. Na capital do Móvel, uma das surpresas da ronda foi protagonizada pelo Desportivo das Aves. Aves não treinado pelo mítico Professor Neca. 

A modesta equipa da 2ª liga sediada na Vila das Aves, freguesia do concelho de Santo Tirso, foi a Paços de Ferreira eliminar o clube local por 2-1 com dois golos de Jaime Poulson, jogador vínculado aos Pacenses actualmente emprestado à equipa orientada por Fernando Valente.

No final da partida, a imprensa dirigiu-se a Henrique Calisto para questionar o treinador sobre o desempenho do jogador. Calisto respondeu de forma peremptória: “Jaime Poulson é um jogador fraco. Não tem sido utilizado e, se jogassse sempre assim, se calhar, estaria no Paços” – declarações às quais o avançado respondeu de forma elegante: “sou profissional e tenho que estar sujeito a todo o tipo de críticas”.

Poulson é um jogador irregular. Prova disso foi a sua intermitente utilização na era Paulo Fonseca no Paços. Como tal, o “milionário” Costinha decidiu despachá-lo para a 2ª liga logo que adquiriu os portentos Carlão e Bébé – ambos marcaram 2 golos em Paços de Ferreira – e o sabido Calisto (decidiu contratar para colmatar o défice de golos da equipa apresenta) o mítico Buval – jogador sem golos nesta primeira metade ao serviço da Académica. Aqui se vê a qualidade de Henrique Calisto e se justifica o facto de ter andado muitos anos por futebóis tão competitivos e atractivos como o futebol vietnamita, tailandês ou angolano.Ligas com uma exigência maluca, maluca. O Calisto se tivesse olho para a coisa, em vez de assoar para o lenço todo o ressabianço que sentiu ao ser eliminado por um jogador emprestado pelo clube e em vez de andar a contratar jogadores que não são feitos para este futebol, caso desse Buval, deveria era dar uma oportunidade ao rapaz e retirar todo o talento que ele tem para o futebol.

A Entrevista de Bruno de Carvalho

Image

Bruno de Carvalho concedeu esta noite uma entrevista ao Programa “Zona Mista”, da RTP Informação, onde falou sobre alguns dos temas da actual realidade do Sporting. Resumindo em 10 pontos os principais temas abordados:

1 – A entrevista iniciou-se com meia dúzia de questões retóricas, e com outras tantas às quais Bruno de Carvalho (BdC) está certamente farto de responder. Do “Está feliz por o Sporting ter chegado bem ao Natal?“, passando pelo “Estava consciente da realidade do Sporting quando chegou ao clube?” e a terminar no “Gostava que o Sporting acabasse bem a época?“, temi que a entrevista se tornasse mais previsível que uma arbitragem do Capela no Estádio da Luz.

2 – Foi a partir de uma dessas questões (“O Sporting é ou não candidato ao título?“), que BdC assumiu a Liga dos Campeões como objectivo para esta época, mas não sem antes falar (pela 146532ª vez) na política do “pensar jogo-a-jogo”.

3 – Voltou a tecer rasgados elogios ao trabalho de Leonardo Jardim, mas também ao de Inácio, Virgílio e ao seu próprio trabalho enquanto Presidente, realçando mais uma vez que o facto de todos eles serem Sportinguistas muito contribui para o actual bom momento que o clube atravessa.

4 – Ficou-se também a saber que Elias está a ser negociado com o Flamengo, e que “diversos outros clubes” demonstraram interesse em contar com os serviços do internacional brasileiro. Também Labyad e Jeffren estão a ser negociados.

5 – Rinaudo pediu efectivamente para sair, com o objectivo de poder ter mais minutos de jogo e eventualmente vir a estar entre as escolhas da Selecção Argentina para o Mundial. Apesar de o Sporting não pretender prescindir dos serviços do internacional argentino, BdC realça a necessidade de o Sporting ser flexível com a vontade do atleta, uma vez que a gestão de recursos humanos “pressupõe que saibamos que estamos a lidar com pessoas, e não com robôs“.

6 – BdC referiu a necessidade que o Sporting tem de fazer uma aposta forte na Televisão e no Jornal do Clube, “porque [o clube] não se revê no que se passa na restante imprensa“. Salientou a importância dos Sportinguistas usarem os canais de informação do clube, dando como exemplos concretos o péssimo jornalismo de desinformação que tem sido feito por Correio da Manhã e Record, que regularmente lançam notícias com o intuito de destabilizar o clube (a suposta pressão de um Fundo de Investimento para a venda de Rojo, e o alegado descontentamento de William Carvalho no clube, são os dois casos mais recentes).

7 – Explicou a questão da “Mensagem de Natal aos Sócios e Adeptos do Sporting”, onde referiu que a restruturação financeira do clube está em risco (devido ao baixo número de novos sócios e de venda de Gameboxes), dizendo que foi acima de tudo uma tentativa de fazer aproximar do clube muitos adeptos que têm possibilidade financeira para apoiar o clube, mas que por um motivo qualquer que BdC diz não entender, optam por continuar afastados da vida do clube. Eu também não percebo, sobretudo quando de acordo com o novo Regime de Quotização existem quotas a partir de 2€..

8 – A aposta na Formação por parte do Sporting custa anualmente 9 Milhões de euros ao clube, e BdC alerta para a necessidade de se criarem mecanismos que protejam mais os clubes formadores. Aliás, essa foi uma das medidas propostas no documento que recentemente enviou à Assembleia da República.

9 – BdC referiu que continua a marcar presença no banco de suplentes para “entender o espírito da equipa“. Já antes ouvi BdC dizer que seria para entender o “grau de comprometimento de cada um dos jogadores com a causa“, e continuo a achar que nesta altura faz todo o sentido esta proximidade do relvado, em detrimento do conforto da Tribuna Presidencial.

10 – Em resposta às declarações de Cristiano Ronaldo, que recentemente afirmou que “lhe faltava ser campeão pelo Sporting”, BdC respondeu esta noite com (óbvia) abertura, dizendo que o Sporting “está disponível para lhe dar essa alegria“. A ver vamos o que acontece no futuro.

Gostei também da parte da entrevista em que BdC se dirigiu àqueles que o acusam de ser “populista”. O Presidente do Sporting disse que ser “popular” é diferente de ser “populista”, e que ele de populista não tem nada, uma vez que as pessoas com esse perfil são famosas por venderem ilusões, enquanto ele é sobretudo conhecido por ser directo e dizer aquilo que muitas pessoas não gostam de ouvir. Faz sentido, não faz?