NBA 2013\2014 #38

1. Jogos que tenho visto nos últimos dias:

Na noite de quinta-feira, os bicampeões em título foram dar uma autêntica malha de basket ao reduto dos Oklahoma City Thunder. A equipa de Oklahoma ainda espera o regresso de Russell Westbrook de lesão. LeBron James distinguiu-se na partida com 33 pontos e não evitou ter que sair no último período com o nariz partido. Irá falhar no máximo 2 partidas. À hora a que escrevo este post está a falhar a partida de Miami frente a Chicago em South Beach, Miami.

Os Grizzlies bateram os Clippers no seu pavilhão na madrugada de quinta para sexta num jogo bastante emotivo. Foi 23º jogo entre estas duas equipas nas últimas 3 temporadas, facto que só acontece devido ao facto de se terem encontrado nos playoffs das últimas duas. Os esforços de Blake Griffin e Jamal Crawford no 4º período foram insuficientes para bater uma equipa de Memphis extremamente assertiva no capítulo do lançamento. Com um score de 31-24 na época, a recuperar de um péssimo início de temporada, a equipa de Memphis ainda espreita um lugar nos playoffs no último terço da temporada regular. São 9ºs mesmo atrás dos Dallas Mavericks. A dupla de postes Zach Randolph e Marc Gasol tem subido o nível das suas exibições. A equipa de Doc Rivers, apesar de ter melhorado imenso no plano defensivo, ainda está longe do que se considera aceitável para uma equipa com aspirações na temporada.

2. Deadline day

Na quinta-feira fechou o mercado de trocas no que a esta temporada concerne. As equipas com objectivos altos tiveram a sua última oportunidade para afinar as respectivas máquinas para o que falta jogar na temporada regular e para os playoffs, apesar de, até ao final da temporada regular ainda ser possível contratar jogadores que neste momento se encontram livres. As equipas que já se encontram sem hipóteses (virtuais) de se qualificarem para a ronda final da prova aproveitaram também a janela para começar a preparar o futuro ou alinhavar (em termos financeiros) as contas da equipa para a próxima janela de draft e free-agency nos meses de Junho e Julho. Alguns jogadores com potencial foram dispensados e podem reforçar outras equipas nas próximas semanas.

2.1 Trocas

Em cima da mesa nos últimos dias disponíveis para se efectuar trocas entre equipas, pendiam alguns jogadores de destaque como Jeff Teague (Atlanta Hawks) Andrea Bargnani (New York Knicks) Rajon Rondo (Boston Celtics) ou Luol Deng (Cleveland Cavaliers).

Nos últimos dia efectuaram-se algumas trocas mas nenhuma delas afectou uma estrela da Liga.

steve blake

Os Golden State Warriors reforçaram o seu plantel com o Steve Blake. Os Warriors já se tinham reforçado com o SG Jordan Crawford, vindo de Boston. Os Celtics abdicaram do seu SG visto que este no final da época poderia sair da equipa do Massachussets visto que era restricted free-agent by qualifying-offer. Para ficar com o jogador, os Celtics teriam que fazer uma proposta igual ao superior do contrato do atleta (4,2 milhões de dólares por temporada). Ao enviar o jogador para Golden State, a equipa da california assumiu metade do ordenado do jogador durante esta temporada e Boston poupou cap para atacar a próxima temporada e assim repensar as suas escolhas de acordo com a estratégia de rebuild assumida pela equipa. Os Warriors reforçaram o seu plantel com um excelente lançador de meia distância, algo inconstante ao nível exibicional é certo, mas que poderá ajudar a equipa a cumprir os objectivos estabelecidos pela mesma: as meias-finais de conferência. Já o base mal-amado em Los Angeles será suplente de Stephen Curry na equipa de forma a dar mais descanso à grande estrela da equipa. A equipa de Los Angeles recebeu Kent Bazemore e DeMarshoon Brooks, jogadores que deverão ser aproveitados na rotação da próxima temporada visto que a equipa de LA tem poucos jogadores sobre contrato previsto para a mesma.

Marcus Thornton

Sacramento e Brooklyn Nets acordaram a troca de vários jogadores que se encontravam insatisfeitos dentro dos seus roosters. Marcus Thornton rumou à equipa Nova Iorquina. O base estava a ter cada vez menos minutos na rotação de Michael Malone e como tal estava a produzir números (8.3 pontos\2.7 assistências) muito abaixos daqueles que é capaz de produzir. Os Nets ofereceram aos Kings um jogador que não entrava regularmente na rotação (Reggie Evans) e outro cuja contratação no início da época saiu muito furada, o SG Jason Terry.

turner

A maior troca do dia acabou por ser a troca efectuada entre Philadelphia 76ers e Indiana Pacers. A equipa de Larry Bird continua a mostrar a sua ambição, o título da NBA. Como tal continuou a sua estratégia expansiva ao contratar o SG\SF de Philadelphia que, esta temporada, tem uma média de 17.6. Indiana completa com o Turner o enorme leque de atiradores que dispõe (Paul George, CJ Watson, George Hill, Lance Stephenson e David West). Os Pacers souberam compreender a importância que um jogador Evan Turner (repentista, bom lançador mid e long range) poderá desempenhar na equipa nos playoffs, altura da época em que os candidatos necessitam claramente de experiência e virtuosismo para alcançarem os seus objectivos.

Os Philadelphia 76ers receberam Danny Granger. O azarado extremo (passou grande parte dos últimos dois anos lesionado) viu consumado aquilo que se previa há muito: não fazer parte da estratégia da equipa. Foi dispensado pelos Sixers no mesmo dia por motivos salariais. Enquanto os Pacers decidiram reforçar a sua equipa com um jogador capaz de decidir, apoiar, marcar pontos em troca de outro que para além das sucessivas lesões, não estava a acrescentar muito à equipa desde que voltou aos courts. Os Sixers continuam a traçar o seu rebuild em torno de Michael Carter-Williams e acabaram por poupar cap salarial para a próxima temporada com a dispensa de Granger.

2.2 Dispensados e contratados.

Contratados: Para completar o 13º jogador da equipa, número regularmentar de jogadores obrigado pela liga, Chicago contratou Jarvis Varnado. O jogador assinou por 10 dias e será experimentado para ver se poderá assinar até ao final da temporada.San Antonio contratou por 10 dias Shannon Brown, antigo jogador dos Lakers.

Dispensados ou sem contrato

danny granger

O extremo está neste momento sem equipa. Auferindo 14 milhões de dólares (era o último ano de contrato com os Pacers), Oklahoma, Miami e San Antonio Spurs poderão estar interessados nos préstimos do extremo. Oklahoma neste momento lidera a corrida. Granger poderá baixar os seus valores salariais para metade porque para além da sua situação específica, poderá aceitar tais valores pelo simples facto de poder ingressar numa equipa que luta pelo título. Quando assim o é, existem jogadores que abdicam de parte do seu salário para poderem lutar pelo título da NBA.

glen davis

Quem também está sem contrato é Glen Davis. O Orlando Magic cansaram-se do mau feitio e da falta de rendimento do poste em campo, tendo decidido dispensá-lo para poderem poupar cap space para a free-agency. Com a dispensa, os Magic pouparam cerca de 10 milhões nos próximos 18 meses. Ainda não existem interessados em Davis mas o base poderá encontrar o seu espaço na Liga nas próximas semanas, como suplente de uma estrela da sua posição. Clippers ou OKC poderão ser hipóteses muito válidas para o jogador. Inseria-se facilmente nos primeiros visto que já trabalhou com Doc Rivers no passado, treinador que admira o seu potencial (apesar de o ter trocado) mas cujo feitio afirmou ser o “principal inimigo do jogador” que outrora foi apelidado de Baby Shaq por causa das suas parecências físicas e ao nível de características com Shaquille O´Neal.

2.3 A definir o verão

As últimas mexidas realizadas pelas equipas já começaram a definir a próxima free-agency. Eis os rostos daqueles que poderão mudar as suas bagagens no próximo verão.

Equipa a equipa:

Atlanta Hawks

Elton Brand, DeShawn Stevenson, Jared Cunningham e Gustavo Ayon são free-agents unrestricted ou seja, livres para negociar com quem quiserem e deverão seguir caminho no final da temporada até porque a equipa de Atlanta já tem um cap de 47,9 milhões cativos para a próxima temporada e terá o dossier da renovação de Paul Millsap na próxima temporada. O poste ganha 9,5 milhões por temporada e poderá querer estender este valor para um pacote perto de 75 milhões por 4 temporadas.

Boston Celtics
Kris Humphries não deverá renovar. Auferindo 14 milhões de dólares e estando a equipa com um cap de 47 milhões previstos para a próxima temporada, será impensável para os Celtics renovar com o poste. Deverá arranjar colocação dentro da liga mas com um contrato muito menor do que o actual e com papel de suplente.
Keith Bogans e Ryan Gomes também não deverão renovar. O primeiro pode acabar carreira no final da temporada.

Irão renovar com a equipa de Boston Jerryd Bayless (+3,5 milhões) e Avery Bradley (qualifying offer de 3,5 milhões de euros para Boston) 

Detendo a opção para estender contrato por mais 1 temporada, o poste canadiano Joel Anthony deverá querer renovar, mas os 3,8 milhões de salário poderão ser proibitivos para os Celtics numa altura em que estes estão a tentar diminuir custos para poderem passar a luxury tax na época 2015\2016 com uma equipa mais experiente e com uma free-agency bem mais apelativa ao nível de nomes grandes. Para além do mais, a equipa irá apostar na dupla Olynyk e Faverani sendo que o brasileiro poderá sair caso a equipa não se mostre interessada em renovar.

Brooklyn Nets

Pierce

Paul Pierce é para já a grande incógnita que a equipa tem para o verão.

A equipa gastou este ano 102 milhões de euros mais o valor relativo à taxa de luxo. No próximo ano, a equipa detida pelo multimilionário russo Mikhail Prokhorov tem um gasto de 89 milhões previsto, podendo amenizar em cerca de 8,6 milhões caso Travis Outlaw seja amnestiado (vai ser) e Andray Kirilenko e Andray Blatche não exerçam a sua opção pessoal. Creio que Blatche deverá exercê-la. Quanto ao russo, duvido. Como Shawn Livingstone (1,2) e Alan Anderson tem tido boas prestações e deverão renovar com os Nets, se a equipa renovar com o Paul Pierce de acordo com o salário actual (15,33 milhões) a equipa voltará a gastar 100 milhões de dólares, indiferentemente do facto consumado de ter usado a luxury tax pelo 3º ano consecutivo e pelo 3º ano em 5 temporadas, facto que garante uma penalização extra.

Ocorre que o proprietário da equipa já afirmou que pode não escorregar com a nota no próximo ano.

Charlotte Bobcats

Ben Gordon (13,2 milhões) não deverá ver o seu contrato renovado, Luke Ridnour (4,3M) também não deverá permanecer dados os seus números e exibições esta temporada (5,3 pontos\1.7 ass). Tyrus Thomas (9,3M) será amnestiado com quase toda a certeza e Josh McRoberts (2,7) tem player option. Com 46 milhões de cap previsto (16 de sobra) a equipa de Charlotte poderá atacar 1 ou 2 bons free-agents para continuar a construir o seu 5 inicial de forma a poderem continuar a evoluir visto que este ano já tem um lugar mais ou menos solidificado nos playoffs (6º no Este com um score de 27-30)

Chicago Bulls

Kirk Hinrich

Com um cap de 63 milhões assegurado para a próxima época (ligeiramente superior ao tecto máximo virtualmente estabelecido para a próxima época) as duas dúvidas de Chicago irão cair sobre Kirk Hinrich e DJ Augustin. Na minha opinião, o primeiro será preterido pela renovação do segundo porque é mais novo, inseriu-se muito bem dentro da equipa e tem mais margem de progressão na nomenklatura de Chicago. Como Derrick Rose vai voltar na próxima temporada, Augustin passará a ser o 6th man de Chicago, estatuto que, dado o historial do jogador num passado recente (dispensado em Indiana; despedido em Toronto) deverá agradar ao jogador. Resta saber quem é que estará na disposição de desembolsar mais do que Chicago ou granjear ao jogador um estatuto superior na equipa do que aquele que o base tem em Chicago (starter).

Com a equipa de Chicago evita as penalizações, é mais ou menos certo que volte a ultrapassar a luxury tax no próximo ano até porque a equipa irá pretender a vinda de Nicola Mirotic para a NBA com o montenegrino a candidatar-se a um salário perto dos 6 milhões de dólares. A equipa de Chicago também poderá atacar um extremo e um poste com estatuto de suplente de Joakim Noah, dependendo essas contratações do que calhar no draft à equipa dos Bulls.

Nazr Mohammed e o Rookie Erik Murphy serão jogadores livres.

Cleveland Cavaliers

deng 2

Luol Deng é a grande dúvida da equipa do Estado do Ohio. Na última semana noticiou-se em vários órgãos de comunicação da especialidade a ideia de que Cleveland poderia querer trocar o jogador que recebeu de Chicago em Janeiro pelo facto de não ter capacidade financeira para renovar com ele no verão e assim conseguir uma boa moeda de troca com o extremo. Como a equipa de Cleveland tem um cap programado de 32 milhões (+ 9,5 pela renovação que irá exercer sobre Anderson Varejão; team option e mais 3,25 sobre Alonzo Gee) sobram cerca de 17\18 milhões para avaliar Deng (14 milhões com tendência a ficar mais ou menos nestes valores\54 milhões\3 anos ou 72\4 anos) Spencer Hawes (6,5 milhões com tendência a subir) e CJ Miles (deverá ser descartado). A equipa terá portanto que optar por Deng ou Hawes ou pelo pagamento de luxury tax, coisa que decerto não irá agradar aos homens de Cleveland visto que Kyrie Irving tem qualifying offer prevista para 2015\2016, podendo ser necessária a extensão de contrato já no próximo ano com uma subida substancial de salário do epicentro do rebuild de Cleveland.

Deng poderá tornar-se um dos cabeças-de-cartaz do mês de Julho

Dallas Mavericks

nowitzky

Em Dallas, não é certo que Dirk Nowitzky renove e por isso é que a equipa está de olho em Kevin Love. Não é certo também que Shawn Marion, Vince Carter e Devin Harris renovem. Brandan Haywood deverá ser amnestiado pela equipa cujo proprietário é Mark Cuban (7M). DeJuan Blair deve renovar.

Caso Dirk Nowitzky não renove, a equipa de Dallas (apenas de 26M) irá atacar forte e feio no mercado. Caso renove, a equipa terá cerca de 15M para o fazer. Se o alemão não renovar, deverá ter meia equipa interessada nos seus serviços. O jogador afirmou recentemente que deverá assinar por mais 2 ou 3 temporadas.

Denver Nuggets

Jan Vesely é o único jogador unrestricted. O checo não deverá renovar. Nate Robinson tem player option mas como é a 3ª escolha para a sua posição na equipa deverá rumar a outras paragens.

Detroit Pistons

A equipa tem 41 milhões cativos para a próxima época. Charlie Villanueva está a falhar vários jogos derivado dos problemas físicos. Logo, não deverá renovar visto que ganha 8,5 milhões nesta temporada. O rebuild da equipa também já não passa por Villanueva. Rodney Stuckey é outra das incógnitas. O base tem feito uma época bastante interessante, principalmente ao nível da pontuação (13,7). No entanto a equipa tem um défice enorme na armação de jogo visto que nem Stuckey nem Brandon Jennings são dois puros bases organizadores. O jogador aufere 8M. Como Greg Munroe está com qualifying offer de 5,5 e a equipa não deverá querer perder o poste porque este combina muito bem com Andre Drummond, Jonas Jerebko pode exercer uma opção de +1 ano por 4,5M (juntos perfazem para 52 milhões o cap de detroit) e a equipa de Detroit não dispõe de fundos para subir o tecto salarial máximo, a equipa poderá renovar com Stuckey ou procurar um base organizador no draft até ao valor auferido pelo veterano base, mantendo-se em ambos os casos abaixo do tecto salarial máximo.

Golden State Warriors

Steve Blake é claramente uma aposta a curto prazo e Jermaine O´Neal não deverá assinar renovação porque as lesões não o deixam jogar com regularidade numa equipa que quer ser campeã da NBA. Jordan Crawford tem uma qualifying offer de 3,2 milhões para a próxima época. É a única incógnita na equipa de Oakland para o verão. Os Warriors tem 65M cativos para a próxima época. Dinheiro não é problema no franchise californiano.

Houston Rockets

O mesmo se passa em Houston. A equipa ainda está a pagar o salário a Luis Scola, amnestiado e contratado pelos Indiana Pacers. A amnistia não significa que a equipa não tenha que pagar o resto do contrato ao jogador. Apenas tem efeitos contabilísticos no cap space da equipa. Faça o que fizer, a equipa continuará acima da lux no próximo ano. Omri Casspi deve renovar visto que é um jogador muito precioso porque consegue ser bastante efectivo tanto no jogo exterior como nas penetrações com finalização debaixo do cesto. A equipa também deverá exercer os direitos sobre Chandler Parsons e Patrick Beverley (cerca de 900 mil sobre cada um). Francisco Garcia tem player option. A escolha do jogador não irá interferir muito com o rendimento bruto da equipa, conhecidas que são as suas soluções de plantel.

Nos próximos posts irei analisar as restantes equipas.

Anúncios

NBA 2013\2014 #32

Da jornada de sexta-feira:

A fantasmagórica exibição dos atiradores exteriores dos Clippers em Chicago. Regressado de lesão, JJ Redick logrou marcar 4 triplos em Chicago logo no primeiro período. Se no final do primeiro período, com uma primeiro período bastante bom dos Bulls, os Clippers venciam por 41-26 (pontuação record num período de uma equipa a jogar no United Center desde que Tom Thibodeau é treinador dos Bulls) a meio do 2º período, para que se tenha noção da avalanche ofensiva praticada no United Center, a equipa orientada por Doc Rivers tinha uma eficácia de lançamento de 3 pts de 90% (10 em 11). Nenhuma equipa da liga seria capaz de contrariar tamanha eficácia. Também convém salientar que no primeiro período, Carlos Boozer esteve em grande evidência com 16 pontos. Só voltaria a fazer mais 6 no 3º período. Acabou o jogo com uma eficácia de 10 em 18.

No segundo tempo, os Bulls tentaram diminuir a diferença. Alavancados por uma excelente exibição de Mike Dunleavy e Taj Gibson (fez 3 lançamentos fora do seu habitual spot de lançamento) os Bulls chegaram a reduzir a diferença para 8, sucumbindo novamente no início do 4º período, onde, habitualmente, Tom Thibodeau praticou a sua rotação by the book. Os melhores marcadores da equipa na partida (Dunleavy e Boozer) acabaram por não ser utilizados no 4º período.

Curiosa stat apresentada durante o jogo revelou que Joakim Noah subiu bastante os seus números nos 9 jogos efectuados pela equipa sem Luol Deng. Dos 10 pontos de média feitos até então, o poste francês subiu para os 14. De 9.6 ressaltos de média subiupara os 12.8 nas 9 partidas realizadas.

Apesar da derrota por 112-95, a equipa dos Bulls continuou o seu bom momento de forma na última madrugada ao bater os Bobcats em Charlotte por 89-87. 8 vitórias nos últimos 10 jogos. DJ Augustin fez season-high com 28 pontos. O base contratado por Chicago nos dias seguintes à lesão de Rose, está claramente a merecer um contrato para as próximas 2\3 épocas. O mais provável é que Chicago lhe ofereça no final do ano um contrato mínimo de veterano a rondar os 1,2 milhões de euros. Por meia temporada, Augustin está a receber 403 mil euros nos Bulls.

Depois da vitória em Chicago, os Clippers foram vencer a Toronto na madrugada de ontem. Fantástica exibição individual (career-high) do sophomore Terence Ross com 51 pontos. Nos últimos dias, jogadores a fazer mais de 40 pontos é um facto banal na liga!

Viral. Os 62 pontos de Carmelo Anthony na vitória dos Knicks sobre os Bobcats no Madison Square Garden por 125-96. Completamente onfire. Para além de ter feito praticamente metade dos pontos da equipa (e de não ter feito mais porque foi poupado por Mike Woodson a 7 minutos e meio do fim da partida) na retina fica a fantástica eficácia do #7 de Nova Iorque com 23 lançamentos certeiros em 35 tentativas, 6 triplos e 13 ressaltos.

Algumas notícias sobre a Liga:

derrick rose rule

1. A Derrick Rose Rule – novas regras contratuais de protecção aos jovens atletas que se destacam nos primeiros anos na liga para efeitos de assinatura de contratos salariais máximos.

“A Designated Player may be eligible to earn 30% of the salary cap (rather than the standard 25%) if he passes certain criteria. To be eligible, the player must be voted to start in two All-Star Games or be named to an All-NBA team twice (at any level), or be named MVP. Officially titled the “5th Year 30% Max Criteria”it has been dubbed (and is more commonly known as) the “Derrick Rose Rule” after the MVP due to the fact that when the criterion was introduced, Rose was the only player in the NBA eligible to sign the maximum extension (due to his MVP award). The reasoning for the rule is to suitably reward rookie players who are considered to be of a higher “caliber” than their peers, without restricting them to the lower (25%) salary level. A player may sign a “5th Year, 30% Max” contract before the final year of his rookie contract and before fulfilling the criteria needed to receive the 30% salary grade. Should the player fail to fulfil the criteria before the start of his Designated Player contract, he will receive the standard five year, 25% Designated Player contract. James Harde of the Houston Rockets had such a clause in his contract extension, but failed to meet the criteria. The only player in the NBA currently attempting to qualify for a full 30% contract is Paul George, who signed a provisional 30%/5 year contract in September, 2013 (George requires entry into only one further All-NBA team in the 2013-14 season, having made the All-NBA 3rd team in 2012-13)”

2. Carmelo Anthony termina contrato no verão e ainda não assinou extensão com os Knicks. O Bleacher Report hipotetiza sobre o futuro do jogador dos Knicks, se bem que creio que Carmelo vai renovar com os Knicks.

Se não o fizer, a única equipa minimamente atractiva com cap suficiente para albergar o seu salário são os Lakers. A equipa de Los Angeles terá no próximo verão cerca de 27 milhões para gastar até atingir o tecto salarial máximo. Melo não irá assinar por menos de um pacote de 100 milhões por 5 anos ou 85 milhões por 4 anos. O único problema que surge para a equipa de Los Angeles é que só tem 3 jogadores subscritos para a próxima época (Kobe Bryant, Steve Nash e Robert Sacre) e uma player option nas mãos de Nick Young para a época 14\15. A contratação de Carmelo irá impreterivelmente obrigar a equipa de Los Angeles a ultrapassar o seu tecto salarial e consequentemente a ter que pagar luxury tax para compor o resto do seu plantel (8 jogadores), brincadeira que não sairá barato à família Russ.

3. A Liga aprovou excepções salariais (o jogador ser pago mas parte do seu salário ser deduzido no cap da equipa) para os Atlanta Hawks e Milwaukee Hawks em virtude das lesões prolongadas no tempo de Al-Hortford e Carlos Delfino (Adrian Wojnarowki\Yahoo Sports)

4. O fenómeno do Tanking voltou a estar em destaque nos últimos dias. Por Tanking designa-se o acontecimento em que uma equipa da NBA perde jogos de forma propositada para poder ir à lotaria do draft em condições de poder ficar num dos primeiros lugares do mesmo e assim poder começar um rebuild (reconstrução de plantel) com epicentro num talentoso rookie.

NBA 2013\2014 #7

Os analístas da ESPN Avery Johnson, Skip Bayless e Stephen A. Smith analisam o desempenho das duas equipas no primeiro oitavo da temporada e comparam-nas.

Pessoalmente acho que os Nets estão em mais maus lençois que os Clippers.

Primeiro, porque os Nets são a equipa mais gastadora da NBA. Construíram uma equipa para atacar o título da NBA, estando a pagar para o efeito algo como 101 milhões de dólares pelo plantel mais 80 milhões de luxury tax. Tanto é que já surgiram os primeiros rumores de que o multimilionário russo Mikhail Prokorov poderá estar a pensar não injectar mais capital na equipa. Contudo, Prokhorov é quase sempre um dos principais ausentes sempre que os Nets jogam em casa, facto que releva o distanciamento do russo à equipa. Contudo, os Nets são uma das equipas mais valiosas da NBA neste momento conforme o que a Forbes noticia constantemente.

Segundo, porque os resultados deste início de temporada (7-4 para os Clippers e 3-7 para os Nets) demonstram isso mesmo.

Terceiro, porque é uma equipa envelhecida (não garante futuro a longo prazo à equipa) cara e como tal, apenas capaz de lutar pelo título nesta temporada.

Quarto, porque apesar de Jason Kidd parecer à primeira vista uma escolha interessante para o lugar de treinador (continuo a dizer que Jason Kidd vai ser um bom treinador no futuro pois tem todos os skills para ocupar a posição) dados os objectivos da equipa, existiam treinadores disponíveis no verão com muito mais capacidade para trabalhar com esta equipa. Como Lionel Hollins (ex-Memphis Grizzlies) George Karl (ex-Denver Nuggets) Jerry Sloan (ex-Utah Jazz) ou Byron Scott (ex-Cleveland Cavaliers) – do outro lado Doc Rivers vem para Los Angeles tentar repetir o feito que conseguiu com Boston em 2008. Para isso…

Quinto – Doc Rivers conta com uma equipa que gira à volta de Chris Paul e Blake Griffin, mas, que ao contrário dos Nets (onde cada um joga por si, característica que é por demais evidenciavel quando a equipa está a perder) tem outras soluções para desiquilibrar partidas. Desde o poder defensivo de DeAndre Jordan, à capacidade que JJ Redick tem em organizar bem o jogo, fazer pontos e assistências, ao go-to scorer\6th man da equipa Jamal Crawford. Para além destes, Matt Barnes, Jared Dudley, Antawn Jamison (se jogar mais do que aquilo que jogou nos Lakers) BJ Mullens, Willie Green e Darren Collison são opções de banco muito aceitáveis para uma equipa que apesar de não ter como objectivo claro o título (ao contrário dos Nets) acaba por correr por fora. Contudo, até como alguns dos jogadores e treinador da equipa de Los Angeles admitiram, um dos tendões de aquiles é a sua postura defensiva (em minha opinião uma das piores da liga) e Doc Rivers terá que, sem Tom Thibodeau desta vez (Thibodeau foi o grande mentor da atitude defensiva dos Celtics em 2007\2008) tentar repetir o exito defensivo dos Celtics em LA. E porque…

Sexto – Falta a Kidd e falta à equipa de Brooklyn uma certa chemistry. Química. Chama. Alma. Garra. Colectivo. Explosão nos momentos certos. Memento. Não basta ter dinheiro para comprar os melhores jogadores para vencer a Liga. É preciso formar um colectivo. Este já era um dos problemas dos Nets nas épocas anteriores. A equipa continua desligada entre si. Principalmente quando as coisas não estão a correr bem. Há um excessivo individualismo na equipa vindo de Pierce (habituado ao seu individualismo próprio em Boston) em Joe Johnson (fruto de ser um lançador e de ter passado maior parte da carreira com a batata quente nas mãos em Atlanta) – até o próprio Deron Williams, o mais altruísta que Kidd tem ao seu comando, parece estar afecto com este défice colectivo. Basta ver as suas stats e reparar a queda abrupta dos seus números em relação às épocas anteriores.

Sétimo – Voltando ao lado financeiro. Desculpem lá mas eu se fosse GM de Brooklyn não dava os 26 milhões que Garnett e Pierce recebem os dois este ano. Com todo o respeito pelo que atingiram na Liga ao longo da sua carreira. Pierce era um jogador que me levantava facilmente do sofá há 10 anos atrás. Mesmo sem ser dos Celtics. Garnett tem 37 anos, Pierce tem 36. Ganham tanto ou mais enquanto veteranos do que alguns emergentes ou all-stars da Liga nas suas posições como Luol Deng (14,3 milhões) Joakim Noah (12,1 milhões) Danilo Galinari (10,1 milhões) André Iguodala (12,1 milhões) e por aí fora. Enunciei 4 jogadores no auge das suas carreiras com números de all-star, prestações de all-star. Portanto, creio que os Nets não pagam um valor ridículo aos 2 jogadores (porque ridículos só são os 12 milhões que o não-consigo-levantar-os-joelhos-do-chão Bynum recebe em Cleveland para o efeito) mas é em toda a escala exagerado.

NBA 2013\2014 #4

O primeiro com a ajuda do Staff da NBA Portugal League.

1. O primeiro Shaqtin´a´Fool da temporada. – Escolha do Eduardo Barroco de Melo.

2. Norris Cole (Miami Heat) faz um ankle breaker a Derrick Rose (Chicago Bulls) na vitória de Miami sobre a equipa de Chicago a abrir a temporada. – Escolha do nosso futuro autor Hugo Coelho Gomes.

3.

Paul Pierce faz um tremendo abafo sobre LeBron James na primeira vitória dos Nets nesta época por 101-100 sobre os campeões em título a 1 de Novembro. – Escolha de Eduardo Barroco de Melo

4. O #2 do draft deste ano Victor Oladipo (Orlando Magic) mostra os seus dotes vocais! –Escolha de Eduardo Barroco de Melo

5.

A bola de jogo de Steve Blake sobre Dwight Howard (ex-Lakers) na vitória dos Lakers sobre os Houston Rockets. O poste acabaria por ser decisivo na partida pela negativa. Os Lakers aproveitaram a deficiência que Howard mostra na linha de lance livre, fazendo, nos minutos finais, faltas que o colocaram na linha. – Escolha de Roger Forte.

6.

.

Jeff Green faz um jogo muito interessante na vitória dos Boston Celtics sobre os Miami Heat, principalmente nos minutos finais quando fez um poster com falta na cara de LeBron James e concretizou o estupendo título da vitória dos Celtics. – Escolha do Roger Forte.

7.

Um dos vídeos do momento na Liga. A 9 de Novembro deste ano, o poste dos Orlando Magic destruiu um teclado de um computador na recepção de um motel de Orlando. O jogador estava visivelmente embriagado. A polícia teve que intervir no assunto.

Em comunicado oficial, os Orlando Magic já reagiram com a condenação do acto por parte do seu jogador. O jogador será multado pela equipa. Já não é a primeira vez que o “baby shaq” é multado. A 22 de Janeiro de 2010 foi multado pela liga em 25 mil dólares por comportamento obsceno num jogo frente aos Pistons. Glen Davis respondeu com um gesto obsceno a um espectador que, junto do banco dos Celtics, lhe chamou “gordo”. Já na altura, Doc Rivers, na altura técnico dos Celtics referiu que Davis precisava de crescer ao nível de maturidade. 3 anos passaram mas pouco ou nada mudou…

8.

Xavier Henry “vinga-se” do clube onde jogou na época passada. Salvo seja, visto que os Hornets passaram a Pelicans. O lance é duvidoso. Jeff Whitey parece estar dentro do garrafão, apesar de ter ganho posição. Por outro lado, Henry ataca o oponente com o braço. Lance duvidoso. – Escolha do Roger Forte.