Superbock! Fresquinha! #93

Similaridades com um passado algo irregular – A CMA anotou publicamente que concedeu ao Arouca a utilização do Estádio Municipal de Aveiro mediante a retribuição estipulada pela gestora da infraestrutura, a Estádio Municipal de Aveiro.

Enquanto FC Porto e Sporting tiveram que jogar em Arouca, naquele estádio cujas condições roçam o submundismo do futebol de distrital, naquele relvado (chamar relvado aquele campo de batatas é um gracioso elogio) minado, dificultando a partida e sujeitando os seus atletas a um risco de lesão iminente, o Benfica tem direito a jogar contra os Arouquenses num estádio de topo deste país. A EMA agradece. Rentabilização extraordinária de uma infraestrutura pouco rentabilizada. O jogo do Sport Clube Beira-Mar contra o Sporting da Covilhã foi inclusive passado a patacos para dia 16 de Abril. A saudável igualdade de condições que se pretende para a Liga Portuguesa cai novamente ao nível da sarjeta. Os Arouquenses ponderaram a sua escolha com base no factor receita, mesmo apesar de, para se chegar ao EMA, alguns adeptos Benfiquistas terem que dispender mais uns euros no pagamento de taxas de portagem da auto-estrada (a saída para Taboeira para a estrada nacional que liga Águeda a Aveiro nestes jogos é caótica; caótica ao ponto do espectador não conseguir estacionamento no Estádio ou na rua que serve de serventia para a dita estrada nacional).

Contudo, esta subita mudança de venue, faz-me lembrar um dito jogo disputado no passado, mais precisamente no Estádio do Algarve, entre Estoril e Benfica no ano em que Giovanni Trappatoni venceu o campeonato com a turma da Luz. Curiosamente, o dito jogo foi à jornada 30, na altura, a 4 jornadas do final do campeonato, sendo que o jogo era decisivo para Estorilistas na luta pela manutenção (o clube da linha de Sintra haveria de descer de divisão) e para Benfiquistas na luta pelo título. O jogo ficou marcado por uma reviravolta encarnada nos minutos finais, empurradinha pelo saudoso Hélio Santos. Num jogo em que Estoril marcou cedo (11″), massacrou na primeira parte e à passagem da meia hora foi reduzido a 10 unidades (8 na 2ª parte). O presidente estorilista na altura era Antonio Figueiredo, um ex-dirigente do Benfica. Jamais me esquecerei das palavras proferidas pelo dito senhor na semana que antecedeu o jogo: “Alterámos o local de jogo para o Algarve porque os benfiquistas da região já não assistem a um jogo do clube há muito tempo…”

Similaridades?

Advertisements

7 thoughts on “Superbock! Fresquinha! #93

    • Por um lado é possível porque existe uma lei que proíbe as câmaras municipais ou qualquer outro organismo público de financiar o futebol português. mas por outro lado, existe forma de contornar isso: assinando o contrato de cedência ou exploração com o clube em vez da SAD como faz por exemplo a câmara municipal de aveiro. A receita de jogo continua a ser o argumento mais plausível.

  1. O presidente do Arouca disse em entrevista porquê que vão jogar em Aveiro. Chegou a mencionar problemas com falta de electricidade e água quente. E isso nada tem a ver com o Benfica. Tem é a ver com a Câmara Municipal.
    A vontade de arranjarem qualquer coisita a imputar qualquer ao Benfica é tanta que não se informam antes de virem para aqui a apontar “irregularidades”. A única irregularidade aqui é colocarem o Estoril na Linha de Sintra, quando pertence à Linha de Cascais! 🙂 Quanto ao resto… 100 comentários 🙂

    • Em primeiro lugar, não lês neste texto nenhuma imputação ao Benfica.
      Em segundo lugar, eu estou ao corrente da péssima relação mantida nas últimas semanas entre a Câmara Municipal de Arouca e o clube.
      Em terceiro lugar, quanto à “Linha de Sintra” tens razão. Peço desculpa pelo erro cometido.

  2. Quando o próprio presidente do Arouca esteve envolvido nas obras do estádio (tem empresas de construção civil) nesta altura não poder jogar no mesmo, cheira a marosca.

  3. Quando colocas em texto “Similaridades com um passado algo irregular” para bateres na tecla do jogo Estoril x Benfica no Estádio Algarve, fazes referência ao António Figueiredo como ex-dirigente do Benfica, apontas inclusivè coincidências (o dito jogo foi à jornada 30, na altura, a 4 jornadas do final do campeonato), estás à espera que não leia nas entrelinhas? 🙂 É evidente que a possibilidade (pois, porque o campeonato ainda não acabou) de o Benfica se sagrar campeão ajuda muito a tentar encontrar pêlos em casca de ovo, com o Benfica sempre na baila. 🙂 E se a Direcção do Arouca apenas procura ter uma receita de bilheteira um pouco maior?
    Eh, pá, fiquemo-nos pela troca de “linhas” de Cascais por Sintra. Qualquer delas vai dar ao Estádio da Luz ! 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s