F1 – GP Malásia

Segunda corrida da época, quinze dias depois da primeira, carros cada vez mais aprumados e pilotos cada vez mais habituados ao novo modelo da F1. A pista prometia espectáculo, as condições atmosféricas prometiam chuva e trovoada, mas felizmente tal não se verificou, ficando-se o tempo apenas pela humidade, temperatura alta e pouco mais.

No paddock assistiu-se a um habitual desfile de estrelas, desde o actor da série Sherlock Holmes, Benedict Cumberbatch, passando por Travis Pastrana, conhecido desportista na área dos desportos motorizados, Giacomo Agostini, grande campeão na área das duas rodas e ainda Michel Salgado, ex jogador do Real Madrid ou Emerson Fittipaldi. Cada vez mais se nota que a F1 vive também disto, da publicidade feita pela imagem de pessoas importantes que vão aparecendo corrida após corrida e que permite levar imagens a serem partilhadas pelo mundo fora.

Sobre a grelha de partida pouco a salientar e já tinha sido analisada aqui. De notar que Valteri Bottas sofreu uma penalização de 3 lugares (partiu de 18º) pois na qualificação impediu deliberadamente a passagem de outro piloto, forçando-o a rodar atrás do seu  carro e dadas as condições da pista na altura (completamente alagada) acabou por condicionar a qualificação. Também Sergio Perez que partiu de 14º foi bastante penalizado, mas este por problemas técnicos, uma vez que não conseguiu sequer completar uma volta devido a problemas na caixa de velocidades.

partida

Corrida lançada e logo à 7ª volta a Lotus continuou a sua senda de azar e Maldonado foi forçado a abandonar devido a problemas no seu motor (lembro que já na qualificação se tinha deparado com problemas de sobreaquecimento). Logo na volta seguinte foi a vez de Jules Bianchi em Marussia ser forçado a retirar-se devido a danos no carro causados por um embate com Maldonado na volta anterior.

acidente maldonado jules

Os azares dos pilotos não terminaram aqui e na 18ª volta foi a vez de Jean-Eric Vergne, que tem vindo a realizar um excelente início de temporada (tal como a Toro Rosso), desistir devido a problemas no seu turbo que também se encontrava em sobreaquecimento e com possibilidades de causar danos maiores ao carro e motor. Os dois últimos a retirarem-se e estes já na segunda metade da corrida, foram ambos os pilotos da Sauber, quer Sutil, quer Gutierrez tiveram problemas no motor e na caixa de velocidades respectivamente, sendo que Sutil chegou a ficar parado no meio da pista, na entrada da recta da meta.

Sutil

O último dos desistentes e já na fase final da corrida foi Ricciardo, este por azares consecutivos, desde ter ido às boxes e ter saído com um pneu mal apertado (o que de resto já lhe valeu uma penalização de 10 lugares na grelha de partida do próximo GP), como de seguida ter quebrado a lateral da asa frontal e ter sido forçado a regressar às boxes, acumulando assim 5 paragens (numa estratégia de corrida de 2 ou 3 paragens) o australiano e a equipa foram forçados a retirar-se à 49ª volta. Isto acabou por hipotecar de certa forma a estratégia da RedBull que poderia ter feito P3 e P5 dado o desenrolar da corrida e assim acabou por sair com as expectativas furadas.

Ricciardo2

Ricciardo

Quanto aos pilotos que acabaram a corrida, Kobayashi, Ericsson e Chilton acabaram por beneficiar das desistências subindo a 13º, 14º e 15º respectivamente (partiram todos do final da grelha), mas há que notar que Kobayashi lutou e andou sempre bastante bem, chegando diversas vezes a estar no top 10, mas não tendo carro para tanto, claro que naturalmente foi recuando para as posições do fim.

Magnussen, Kvyatt, Grosjean e Raikkonen foram os pilotos que se posicionaram logo de seguida, respectivamente entre a 9ª e a 12ª posição, sendo que todos foram dobrados pelos pilotos da frente. De resto as únicas notas negativas aqui vão para Magnussen e Raikkonen que com os carros que têm deviam fazer mais, especialmente Raikkonen que até partiu de uma boa 6ª posição e acabou por descer 6 lugares, realizando das piores corridas pela sua parte. Já Kvyatt tem sido uma agradável surpresa e mais uma vez manteve o nível (o carro também ajuda) e conseguiu mais uma 10ª posição. Grosjean acabou por fazer o melhor da Lotus esta temporada, sendo que é a primeira corrida que a equipa acaba e a primeira vez que consegue colocar o carro a rodar durante uma corrida inteira.

Em 7º e 8º aparecem ambos os Williams, com Massa e Bottas. Caricato que, Massa ainda não se livrou da célebre mensagem “Bottas is faster than you” (antes era Alonso) e recebeu ordens para deixar passar o Finlandês que tinha os pneus menos desgastados e poderia ainda ir à luta com Button, no entanto Massa não acatou as ordens e não deixou que Bottas passa-se, forçando sempre a que se o finlandês quisesse passar tivesse de se esforçar.

Massa bottas

No fim justificou-se dizendo que ambos estavam a lutar para a melhor posição possível e que ele próprio (Massa) estava a tentar o tudo por tudo para alcançar Button (chegou a dar luta ainda sem ser realmente efectivo), mas sem resultados, pelo que achava que Bottas também não conseguiria. Já Bottas não se revelou chateado e apenas disse que Massa fez o que achou correcto. Por um lado Massa quer liderar a Williams, por outro tentou demonstrar que não quer ser submisso durante mais uma época e veremos se tal não lhe pode sair caro em breve…

Massa button

Em 4º, 5º e 6º apareceram Alonso, Hulkenberg e Button. Se o primeiro correu como pode e teve de suar para passar Hulkenberg, o último destes três correu sempre a alguma distância, só conseguindo chegar perto já na parte final (muito em parte pelo racionamento dos outros com o combustível). No entanto a nota positiva vai claramente para o alemão. Tem sido o melhor dos pilotos “menos cotados” e tem dado à Force India alguma consistência neste novo começo. Andou sempre à frente de Alonso, até que o espanhol arriscou e lá o ultrapassou numa dura batalha já perto das últimas 10 voltas. De resto tanto o alemão como o inglês fizeram uma corrida em que recuperaram lugares em relação à partida.

Alonso vs hulk

Por fim, o pódio, encabeçado por Hamilton e Rosberg e fechado com Vettel. Não há quem bata estes Mercedes neste início de temporada (excepto os problemas técnicos) e felizmente a RedBull e Vettel mostram que estão de volta e que o trabalho está a ser feito (o único ponto de anotação é mesmo o andamento, o alemão acabou a 27 segundos do primeiro lugar).

pódio

 

Hamilton conseguiu assim a primeira vitória da época e chegar-se à frente (além da volta mais rápida na corrida) e Rosberg mantém-se como líder durante mais uma semana, sendo que nos construtores a Mercedes já vai cavando um fosso e dificilmente será batida a menos que muita coisa mude nos próximos tempos…

Hamilton

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s