El Classico – Real Madrid 3 Barcelona 4

Real Madrid e Barcelona defrontaram-se hoje para mais um El Classico, jogo que era de carácter decisivo para a luta pelo título. Uma vitória do Real Madrid eliminaria de imediato o Barcelona da luta, um empate interessaria mais ao Atlético de Madrid (que vencera o Real Betis no início da tarde), e uma vitória do Barcelona relancaria a corrida. Foi este último cenário que se verificou. Num jogo eletrizante, o Barcelona esteve por 2 vezes abaixo no marcador, e teve a capacidade para correr atrás do prejuízo o suficiente para levar de vencido o Real Madrid por 4-3.

Foi, sem dúvida, um jogo de futebol de antologia, de uma intensidade e qualidade que será difícil ver igual, pelo menos até ao Mundial. Aos 20 minutos, já estava 2-1 para o Real Madrid, que sacudiu e bem a pressão do Barcelona ter marcado aos 7 minutos por intermédio de Iniesta e soube dar a volta com 2 golos de Karim Benzema, e com duas belíssimas assistências de Angel Di Maria (endiabrado na primeira parte!). O Real Madrid parecia estar a controlar as incidências da partida, até que a partir dos 35′ o Barcelona voltou a crescer, o que culminou no empate aos 43′, numa bola perdida que Messi aproveitou para fuzilar Diego Lopez. O empate aceitava-se ao intervalo, apesar do maior pendor do Real Madrid. Mas a segunda parte revelou um Barcelona bem mais inteligente, que procurou ter e gerir a bola. Contra a corrente do jogo, Ronaldo (desaparecido do jogo) sacou um penalti a Daniel Alves, e fez o 3-2. O Barcelona continuou com o seu jogo, e catalizados por um Iniesta em grande forma e por um Messi a aproveitar muito bem o espaço entrelinhas concedido por Xabi Alonso, acabou por ganhar uma grande penalidade por falta de Sergio Ramos sobre Neymar, e que ainda resultou na expulsão do espanhol e deixou a equipa com menos um. Messi converteu a grande penalidade, e o Real Madrid começou a viver em demasia do passe longo e das arrancadas de um ou outro jogador. E já antes vivia disso…o Barcelona, com calma, procurou o espaço e o momento certo para dar a estocada final. Iniesta, num golpe de génio, consegue tirar Carvajal do caminho e Xabi Alonso foi demasiado ingenuo na abordagem. Mais uma grande penalidade, que Messi converteu de forma exemplar para completar o hat-trick. Até final do jogo, assistiu-se a um Real Madrid já de cabeça perdida e um Barcelona controlador q.b.

O Barcelona tem total mérito nesta vitória. A equipa, é liderada por um treinador que eu gosto muito, mas ainda deixa dúvidas quanto ao estofo que tem para um clube como o Barcelona, em grande parte pela sua incapacidade de gerir as incidências e exigências de uma equipa europeia. Tata Martino deu algum toque pessoal de futebol direto ao tiki-taka que Pep Guardiola e Tito Vilanova tinham implementado, mas é uma equipa que defende muito mal. Felizmente, o que produz ofensivamente compensa na maior parte das vezes. E é aí que a equipa brilha, porque continua a ser uma equipa, com ou sem Pep Guardiola. A equipa joga quase de olhos fechados, Iniesta, Xavi e Messi numa cabine telefónica são capazes de trocar a bola ao primeiro toque tal é a forma como se conhecessem. Esse tridente teve muito mérito na vitória de hoje, principalmente Iniesta. Marcou o primeiro golo, e sacou a última grande penalidade, além de ter jogado e ter feito jogar. Messi marcou 3 golos, mas Iniesta foi mesmo o homem do jogo para mim.

Quanto ao Real Madrid, a meu ver, ficou hoje provado que este Real Madrid não tem capacidade para vencer a Liga dos Campeões, a não ser que tenha a sorte de certos adversários serem eliminados (Bayern, Barcelona, talvez Chelsea). Talvez consiga vencer a Liga Espanhola porque só depende de si, e caso saiba controlar uma possível implosão depois do jogo de hoje. Contudo, este Real Madrid vive excessivamente das suas individualidades. Quando todas estas, principalmente Ronaldo e Bale estão num dia sim, a equipa é capaz de vencer qualquer equipa. Mas basta uma equipa que os saiba controlar ou minimizar o seu raio de ação e controlar as incidências da partida que a estratégia vai pelo cano abaixo. Por isso é que o Real Madrid não venceu nenhum dos jogos frente ao Barcelona e ao Atlético de Madrid para a Liga: são equipas no verdadeiro sentido da palavra. E isso, pode custar muito caro ao Real Madrid caso tenha que enfrentar o Bayern Munchen ou o Barcelona nas meias-finais/finais da Champions, caso passe o Borussia Dortmund. Ponho já o meu dinheiro na mesa: ainda não será desta que o Real consegue “La Decima”.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s