Marco Silva #1

Coloque-se de lado os problemas que estão a acontecer no Dragão neste momento, após uma derrota do FC Porto frente ao Estoril por 0-1 (de lembrar que o FC Porto já não perdia em casa para o campeonato há cerca de 6 anos!). Queria falar do treinador do Estoril, Marco Silva. Desde que comecei a ver mais jogos do Estoril devido à subida de divisão destes, há 2 épocas atrás, que este Estoril do Marco Silva me surpreende jogo após jogo. Confesso que sou fã deste Estoril do Marco Silva. E nada melhor que um jogador do próprio plantel do Estoril para falar desta equipa e do seu treinador:

«Gosto de Marco Silva porque, comparando com todos os treinadores com quem já trabalhei, é o único que nos diz para jogarmos no Dragão ou na Luz no campo todo sem medo do adversário. Com ele é sempre olho por olho, dente por dente» – Yohan Tavares, numa entrevista recente à France Football.

E o que se viu hoje no Dragão foi o mesmo Estoril de sempre, com as devidas diferenças a jogar em casa ou fora, mesmo apeasr de ter sentido muitas dificuldades em certos momentos do jogo. O Estoril fora de casa é uma equipa muito menos dominadora mas mais eficaz no processos de transição e usam as bolas paradas para desbloquear os resultados fora de casa. Contudo, é uma equipa que nunca abdica da sua identidade e mentalidade vencedora. Seja qual o campo que entram, entram sempre para ganhar. Foi assim, nas últimas 2 temporadas: contra o FC Porto, contra o Sporting, contra o Benfica, contra o Friburgo, contra o Sevilla, contra o Olhanense, contra o Braga, contra qualquer equipa.

Marco Silva é um grande treinador. E o que mais lhe distingue dos outros e de, por exemplo, Paulo Fonseca, é que quer ganhar. Mesmo no campo onde já ninguém vence há quase 7 anos. Quem tem um treinador como ele só poderá pensar no sucesso. Parece-me que acabará no FC Porto.

Anúncios

5 thoughts on “Marco Silva #1

  1. Acho que desta vez estás certo Borba. O Marco Silva deverá ser o próximo a ocupar a carreira de sonho. E estou seguro que irá fazer melhor trabalho que o Paulo Fonseca. Convem-me recordar-te que no verão dizias-me que o Porto com o Fonseca “era campeão de caras” – lembras-te do que te respondia Borba?

    • pois tinhas razão. Mas já que falas disso, volto a dizer o que te dizia antes: O que o Fonseca fez com o Paços não foi obra do Espírito Santo. O Fonseca é um bom treinador, disso não há a mínima dúvida. Infelizmente, não tem arcaboiço para gerir um clube como o FC Porto. A juntar a isso, levou com demasiada instabilidade interna e jogadores importantes que sairam. E outros que tentaram arrombar a porta (Mangala, Fernando).

      • Quintero, Otamendi, as intenções que o Fucile tinha em não renovar contrato, o caso do Izmailov.

        O Paços de Ferreira jogava sem pressão. Principalmente na reta final da prova. Com Sporting e Braga a passarem as passas do algarve, os jogadores do Paços já tinham cumprido os objectivos do clube para a temporada (a manutenção). Como já o tinham feito, a confiança solidificava de jogo para jogo. Ainda para mais quando estavam ali a meia dúzia de jogos de atingir algo histórico para o clube. Se não conseguissem o 3º lugar, estou certo que em nada seriam censurados. Para além do mais o Paços era uma equipa que jogava no contragolpe.

        Mas concordo contigo numa coisa: o Fonseca não conseguiu aguentar a pressão de treinar um clube como o Porto. Uma coisa é treinar uma equipa com objectivos mínimos. Outra coisa é treinar uma equipa que é obrigada a vencer todos os jogos em que participa. Também é preciso lembrar que o Paulo Fonseca está na sua 3ª epoca enquanto treinador numa equipa dos campeonatos profissionais. Ou seja, ainda é muito tenro para aceitar um desafio deste calíbre.

        Para além do mais, o Paulo Fonseca entrou logo a matar com um discurso arrogante “à Porto” – discurso que elevou de facto as expectativas e a pressão. Quem o ouvia falar daquela maneira pensava que já tinha sido campeão europeu várias vezes. Como podemos assistir, o Paulo Fonseca provou um pouco do seu veneno.

        Quanto ao Marco Silva: o estoril joga o jogo pelo jogo, organizado defensivamente, batalhado no meio-campo, rápido (ao nível de velocidade e processos na frente) e essa é a principal arma dos estorilistas. O Marco Silva pode sair no verão mas não o quis fazer. Como ele próprio o admitiu na altura, preferiu continuar o seu crescimento sustentado enquanto treinador e o crescimento sustentado da equipa. E fez muito bem: na vida há tempo para aprender, tempo para reflectir e tempo para chegar lá cima. Ele vai chegar um dia!

  2. «Gosto de Marco Silva porque, comparando com todos os treinadores com quem já trabalhei, é o único que nos diz para jogarmos no Dragão ou na Luz no campo todo sem medo do adversário. Com ele é sempre olho por olho, dente por dente» – Yohan Tavares, numa entrevista recente à France Football.

    e ele já foi treinado pelo leo jardim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s