breve

O pai de Elias (Eliseu Trindade) comunicou que o jogador voltou a fazer uma acção conjunta contra o Sporting na FIFA e na UEFA relativa a salários em atraso.

Sinceramente pensei que, ao ser reintegrado na equipa B depois do término do empréstimo ao Flamengo e, por outro lado, enquanto o Sporting espera uma proposta minimamente vantajosa para vender o jogador, a SAD do Sporting lhe estivesse a pagar o salário, coisa que de facto não está.

Bruno de Carvalho é neste momento o vendedor. Bruno de Carvalho afirmou que com a sua chegada à presidência do clube, tinham acabado os “saldos”, isto é, a venda ao desbarato de jogadores. Quer queiramos quer não, pelo que fez no passado, Elias é um jogador bem cotado e com mercado no Brasil. E não só, tomando em conta as propostas que chegaram da China, da Rússia e do Valência. Contudo, nenhuma das propostas satisfez quem tem os direitos desportivos do jogador. Existe portanto a necessidade de traçar a distinção entre direitos desportivos (federativos) e direitos económicos (percentagens do passe de propriedade) sobre o jogador. Detendo a maioria percentual do passe do jogador (direitos económicos) e os actuais direitos desportivos do jogador, o fundo de investimento que detém o resto do passe de Elias bem pode aceitar as propostas que quiser. O Sporting aceitou uma proposta superior ao valor pedido vinda da China. Elias não quis ser transferido para o clube chinês. Valência, Corinthians, Rubin Kazan e Flamengo não apresentaram até agora uma proposta igual ou superior ao valor estipulado pelo clube leonino. 7.5 milhões por 50% do passe é a parada mínima. A última proposta do Flamengo não chegou aos 6 milhões por 50% do passe, pagos em 4 prestações. Logo, Bruno de Carvalho como bom vendedor que pretende ser, tem todo o direito a não vender o jogador.

É eticamente reprovável e juridicamente condenável o facto do Sporting não ter cumprido e não estar a cumprir as obrigações que teve e tem perante o jogador. É legítimo que este avance para quem de direito para poder receber aquilo que é seu. Elias aufere cerca de 150 mil euros por mês. Tais valores saem completamente fora das possibilidades financeiras actuais do Sporting. Não creio portanto que os dirigentes do Sporting estejam a agir de má-fé perante o jogador nesta situação até porque, como é do conhecimento público, o Sporting poderá não apresentar capacidades financeiras para cumprir as suas responsabilidades perante Elias. Tão pouco deverá querer abdicar de pagar a outros jogadores do plantel ou fornecedores para o poder fazer junto de um jogador que neste momento não faz parte das contas da estrutura profissional de futebol.
O que não invalida que manchado fique o bom nome e a credibilidade da instituição.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s