O que eu ando a ver #34

ricardinho

Meias-finais do Campeonato Europeu de Futsal – Antwerp, Bélgica – Portugal 3×4 Itália.

Como tinha acontecido nos quartos-de-final do Europeu da Croácia em 2012, mais uma vez, a selecção nacional caiu contra a selecção italiana, desta vez nas meias. 10ª derrota da selecção nacional em 18 jogos oficiais contra a Itália. Eliminação injustíssima para o futsal apresentado pela selecção nacional no jogo e no torneio. Eliminação injustíssima se tivermos em conta as exibições de Ricardinho, Cardinal e Arnaldo durante o jogo em particular e no torneio no geral. Sem pejo algum pelas prestações de outros jogadores de outras selecções em destaque no torneio, posso afirmar que o ala do Inter Movistar fez seguramente uma das melhores exibições individuais de sempre num jogo a contar para o Campeonato Europeu de Futsal e merecia ter saído da SportsArena de Antuérpia com o passaporte para a final da prova.

Valeu a maior eficácia dos italianos no 2º tempo. Ricardinho puxões dos galões para virar o 1-0 inicial para os italianos para um 2-1 para Portugal ao intervalo. No segundo tempo, o foguete de Fortino para o 4-2 a 6 minutos do fim tornou o apuramento muito difícil. Joel Queirós reduziu e a selecção portuguesa bem se pode queixar da sorte nos últimos minutos com três perdidas: duas de Leitão ao poste e uma de Pedro Cary na cara de Mammarella, o guarda-redes italiano. Com Joel Queirós na sua melhor forma física, jamais teríamos perdido esta partida.

Para finalizar, cumpre-me escrever algumas palavras para a geração que hoje se poderá ter despedido das grandes provas internacionais por selecções. João Benedito (35 anos) Gonçalo Alves (36) Arnaldo (34) Cristiano (34) Leitão (33) e Joel Queiroz (31; este último não tanto pela idade mas pelos problemas físicos que vem tendo ao longo dos últimos 2 anos) poderão despedir-se da selecção no final deste europeu para garantir a necessária renovação da selecção. Nas exibições feitas pela selecção neste europeu notou-se que todos estes jogadores vão fazer muita falta caso pretendam sair para dar espaço aos mais novos. Considero uma pena não terem ganho um único título internacional nesta última década porque bem o mereceram. Contudo, não posso de me deixar preocupado com o futuro da selecção portuguesa de futsal. Se neste europeu, se denotou claramente que a selecção portuguesa apresentou duas caras (uma com Ricardinho e outra completamente diferente sem o ala em campo) não vejo na nova geração de futsalistas portugueses (Cary, João Matos, Ricardo Fernandes, Bruno Coelho; Djo, Paulinho, Ré, Dura) talento suficiente para acompanhar Ricardinho e Cardinal nos próximos desafios do futsal português. Só tenho a certeza, pelas exibições que efectuou que a baliza nacional estará bem entregue a André Sousa.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s