Rapidinha Inglesa #2

Hoje foi dia de jogo grande na Premier League, sendo um jogo que já vinha dando muito bate-papo na imprensa, especialmente por parte de Mourinho com os seus mind games, era de prever que fosse ainda mais apimentado dentro de campo, afinal esteve em jogo o alcance da liderança isolada por parte do City, ou o aproximar do Chelsea ao pelotão da frente, o que acabou por acontecer. Do jogo propriamente dito destacam-se logo as opções tácticas.

Pellegrini não podia contar com Fernandinho e Aguero a contas com lesões, optou por ser mais cauteloso e colocou em campo um 4-4-2, onde Demichellis (a jogar no meio, mas com características e trabalho muito mais defensivo) enquanto que na frente naturalmente apareceu a complementar a dupla com Negredo, Edin Dzeko. Mourinho por seu lado optou por ser mais cínico e jogar no contra golpe (ou pelo menos dava a entender isso) com David Luiz como médio mais recuado e Matic e Ramires  logo à sua frente, (Oscar e Lampard no banco asseguram substitutos de luxo e opções para o pior) dispondo um 4-3-3 que defensivamente se traduzia num 4-5-1 com a maioria das vezes a serem vistos nove jogadores do Chelsea atrás da linha da bola.

Claramente Mourinho usou e abusou do poder psicológico pré-jogo (isso também faz parte do jogo) e isso em muito influenciou as escolhas que foram feitas por cada um dos treinadores, depois o Português claramente sabia que o City é uma máquina trituradora e foi-se precavendo com o que podia. Durante a primeira parte viu-se um jogo aberto e disputado de parte a parte, do lado dos Citizens os melhores e sempre em maior destaque foram Yaya Touré (que jogador e motor desta equipa este senhor é), David Silva e o xerife Kompany que limpou tudo o que podia e não podia lá atrás, pelo contrário Nastasic entrou mal, jogou mal e acho que quando tomou banho acabou por se ensaboar mal.

No meio disto tudo a máquina trituradora encravou e o Chelsea assumiu-se, só foi parado pelos postes (três vezes e uma era do Matic que dava mais uma nomeação para golo do ano) mas não conseguiram evitar que o Ivanovic se chegasse à frente e num lance onde houve liberdade para a equipa dos Blues fazer o que quis e bem lhe apeteceu, mandou a bola lá para dentro. Fica assim mais contente o mestre Mouro que pode agora deixar de chorar e começar a rir-se, afinal já só lhe faltam 2 pontos para se chegar à frente e conseguiu ganhar aquela equipa que andou durante uma semana a transformar num bicho papão.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s