Australian Open – Resumo Alargado

australian-open3

Desde o dia 13 de Janeiro que os courts de Melbourne aquecem com mais uma edição do Australian Open, o Happy Slam como muitos tenistas lhe gostam de chamar pelo bom ambiente que se vive dentro e fora dos courts. Esta edição tem sido responsável pelo imenso calor (tivémos dias com 45º C!!) e por diversas surpresas até ao momento, sendo até um dos Grand Slams mais incaracterísticos dos últimos anos. Não tanto pelas surpresas acontecerem cedo e de forma inesperada (como por exemplo, o Black Wednesday de Wimbledon no ano passado), mas pelas surpresas que aconteceram terem sido poucas, mas extremamente significativas.

Comecemos pelo circuito ATP, onde existiram menos surpresas. Mas foi inesperada a queda de Juan Martin Del Potro (apontado por mim como um possível semi-finalista) na 2º ronda, frente a um Bautista Agut extremamente inspirado, que soube reduzir uma desvantagem de 2 sets a 1 e levar a melhor sobre a Torre de Tandil. Juan Martin Del Potro nunca mais foi o mesmo desde o US Open que conquistou, e as lesões também não têm ajudado. Mas é dos tenistas mais talentosos da sua geração, e não tenho dúvidas que ainda irá voltar às meias-finais e finais dos GS. Bautista Agut acabou por cair frente a Grigor Dimitrov na 4º ronda. O tenista búlgaro tem sido uma surpresa, já que o seu rendimento em GS é bastante inferior ao expectável. Lembram-se de João Sousa o ter derrotado no US Open 2013, na 1ª ronda? Pois…

Rafael Nadal esteve em bom plano até à terceira ronda, mas a vitória apertada (mesmo que por três sets) frente a Nishikori levantou algumas dúvidas sobre a sua capacidade para vencer o Australian Open. Hoje entra em campo para passar às meias-finais.

Um destaque importante para Roger Federer. O tenista suiço tem como novo treinador Stefan Edberg, o veterano e antigo campeão do Australian Open (por 2 vezes) desde o início de 2014, e tem-se revelado uma surpresa pela positiva. Após um 2013 simplesmente desastraso, Federer parece estar de volta aos bons momentos. Tem apresentado um bom ténis, agressivo e a usar o court na sua extensão vertical com mais objetividade e eficácia. Além disso, Edberg, outrora conhecido por ter uma esquerda a uma mão monstruosa, parece ter ajudado Federer a afinar a sua esquerda, que já andava descalibrada há demasiado tempo. Após três rondas iniciais superadas sem grande dificuldade, Roger Federer entrou em court para defrontar Jo-Wilfred Tsonga na 4ª ronda. O francês é um péssimo match-up para o FedExpress pela intensidade que imprime nas suas pancadas. Nos últimos anos, tem sido dos tenistas que Federer tem tido mais dificuldade em superar. Apesar de Tsonga não ter estado ao seu melhor nível, Roger Federer fez uma exibição vintage, principalmente no primeiro e no terceiro set. Primeiro serviço com boa percentagem, usou e abusou do serve-and-volley, não deixou Tsonga terminar os pontos na rede aplicando os sempre difíceis passing shots na perfeição, e usou a direita para “matar” os pontos. Federer venceu em straight sets por 63 75 64. Irá defrontar Andy Murray nos quartos – de – final. Murray teve um quadro fácil até aqui, mas algumas dúvidas subsistem quanto ao seu estado físico. Murray esteve a recuperar de uma lesão nas costas (sempre muito complicadas para os tenistas), e parece ainda estar bem longe do seu melhor. No entanto, tem superado sem grande dificuldade os seus adversários, apesar de haver momentos onde ele procura racionalizar o desgaste e não arriscar nos seus serviços de forma a não acusar a lesão.

No circuito WTA, as surpresas têm sido em catadupa. A maior foi a eliminação na 4ª ronda da 1ª CS Serena Williams frente a uma Ana Ivanovic que parece estar de volta à sua melhor forma. Já na ronda anterior, Ana Ivanovic teve de superar uma sempre complicada Samantha Stosur(17ª CS) em 3 sets. Também na 4ª ronda, Dominika Cibulkova também eliminou a 3ª CS Maria Sharapova, que ainda parece estar à procura da sua melhor forma e a 8ª CS Jelena Jankovic foi eliminada por uma explosiva Simona Halep em 3 sets. Na terceira ronda, Garbine Muguruza eliminou a antiga número 1 mundial Caroline Wozniacki em 3 sets equilibrados, mas não aguentou o desgaste na 4ª ronda e foi eliminada. Atenção a esta tenista espanhola. Vai dar que falar na temporada de terra batida. De referir ainda que embora Na Li já se encontre nas meias finais, esteve à beira de ser eliminada na 3ª ronda, onde após perder o primeiro set para Lucie Safarova, teve de ir resgatar o segundo em tie-break. Venceu o 3º set confortavelmente, de qualquer forma.

Chegamos então, ao momento atual do torneio. Apesar de hoje jogar-se o último dia dos quartos de final, ontem já iniciaram-se as partidas. Thomas Berdych superou David Ferrer em 4 sets e Stanislaw Wawrinka surpreendeu ao superar o campeão atual e número 2 mundial Novak Djokovic num épico de 5 sets por 26 64 63 36 97, e estão nas meias-finais. Está desde já garantida a presença de um estreante na final de um Grand Slam. Parece-me que Wawrinka terá ligeira vantagem, mas terá de superar o desgaste físico, e sobre isso falarei quinta-feira. Nas mulheres, após Ivanovic superar Serena Williams, acabou por ceder frente à fortíssima newcomer Eugenie Bouchard por 75 57 26. Já Li Na não teve quaisquer dificuldades para superar Flavia Pennetta, que já se apresentava inferiorizada fisicamente.

Hoje temos os jogos Halep x Cibulkova, Radwanska x Azarenka, Nadal x Dimitrov e um escaldante Federer x Murray.

Halep x Cibulkova – Após uma temporada 2013 onde Halep escalou no ranking WTA até chegar aos top-30, Halep parece finalmente estar a cumprir o que era expectável de sua parte aquando dos seus anos enquanto júnior. Além disso, pela primeira vez está a superar a barreira da 3ª ronda nos Grand Slams, e já se encontra nos quartos-de-final, praticando um ténis extremamente arrasador para as suas adversárias. Já Cibulkova teve uma temporada 2013 bastante boa, e já foi responsável por eliminações arrasadoras nas primeiras 3 rondas, e ainda eliminou Maria Sharapova do Happy Slam, como referi anterior. Em termos de qualidade tenística, neste momento, Halep parece-me um degrau acima da eslovaca, mas são duas tenistas que não metem o travão nem por um momento e são muitos explosivas. Espero um jogo de elevada intensidade e bem disputado de parte a parte. Acredito que o jogo irá a 3 sets, e os primeiros 2 sets serão muito apertados, mas no terceiro set vejo Simona Halep descolar na partida, e marcar presença nas meias-finais. O jogo está a começar a ser disputado neste momento.

Radwanska x Azarenka – Este vai ser outro jogo escaldante, não tanto pela possível qualidade do jogo em si, já que ambas as tenistas não têm estado ao seu melhor, mas pela relação entre ambas. É conhecida publicamente a má relação entre as duas tenistas, e Radwanska irá fazer tudo para superar a bi-campeã Azarenka. Radwanska é uma das melhores jogadoras do circuito em termos tácticos, e sabe variar muito bem as suas pancadas e adaptar-se em função da sua adversária. O que nem sempre é bom, porque joga, na maior parte das vezes em função da adversária em vez de a manipular com o seu jogo. Será um jogo de extremos, já que Azarenka é um misto de counter-puncher com agressive baseliner, mas muito mais a última. Apresenta-se distante da sua melhor forma, mas julgo que Azarenka irá superar Radwanska e marcar presença nas meias-finais em 2 sets muito equilibrados e desgastantes.

Nadal x Dimitrov – Nadal enfrentará o búlgaor Grigor Dimitrov nos quartos de final, e Dimitrov não costuma ser presa fácil. Nos três encontros anteriores, conseguiu sempre roubar um set ao tenista espanhol, mas eventualmente Nadal não tem dificuldades em superar o búlgaro no set decisivo. Dimitrov já superou a barreira de nunca nada conseguir nos GS, e julgo que já não tem nada a perder. Irá tentar explorar as fraquezas de Nadal (a esquerda a duas mãos costuma ser algo inconstante nas paralelas) e executar bons serviços de forma a vencer o espanhol. No entanto, juglo que Nadal deverá conseguir superar Dimitrov. A minha aposta é Rafael Nadal 3-1.

Federer x Murray – Este é o prato principal do dia. Federer está em bom plano, como já referi anteriormente, e é dado como favorito marginal nas casas de apostas, embora ache que devia estar 50/50. Mesmo apesar de Murray dar indicações de estar longe do seu melhor, é sempre um tenista perigoso e tem-se revelado, a cada ano que passa, um futuro número 1 mundial após superar a barreira do top-3. O jogo começa às 8 horas portuguesas e acredito que vá ser um dos jogos do torneio. Noutro ano qualquer, diria que Murray iria vencer em 4/5 sets, mas Federer deu-me indicações que está com fome e irá querer vencer e provar que com 34 anos, está aí para as curvas. Murray também poderá acusar a sua lesão. Federer em 4 sets muito apertados, com um tie-break pelo meio.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s