Os filmes que não se deveriam repetir

vejam e apreciem a imbecilidade de Manuel Mota da Silva.

Mais:

«O polémico golo anulado este fim de semana ao Sporting tem uma característica muito especial: não foi polémico. Exceto meia dúzia de alminhas, não se encontra quem diga que o golo foi bem anulado. Foi golo e pronto. A única polémica foi a decisão do árbitro de o anular. O Sporting merecia ter acabado a primeira volta da Liga com mais dois pontos.
É bem verdade que, como foi dito várias vezes na conferência de imprensa de Alvalade, um jogo e uma atuação de um árbitro não podem ser resumidos num só lance. Mas é também verdade que basta um lance para mudar a história de um jogo – às vezes mesmo de um campeonato.» – Pedro dos Santos Guerreiro in Record.

Como:

o título que o FC Porto ganhou neste lance que valeu 30 dias de suspensão a Paulo Bento por ter constatado o óbvio. Já agora, a mesma suspensão Jorge Jesus levou por ter obstruído a detenção de um adepto por parte de um agente policial seguida de agressão ao mesmo.

Claro que o clubismo mexe com alguns agentes desportivos inseridos nas instituições que detém poder de decisão junto da FPF. Nestes casos, costumam aparecer papagaios a palrar uma enorme baba (de camelo):

«Esse tipo de declarações [referindo-se a Bruno de Carvalho] tem de ser punido por quem de direito, neste caso, o Conselho de Disciplina, a quem compete analisar se há ou não fundamento para um castigo pesado. Nós não procuramos castigos, procuramos sim que o futebol tenha paz e tranquilidade e não é este tipo de discurso que permite valorizar o nosso futebol […] Os árbitros aceitam bem a crítica em relação ao seu trabalho. A Associação terá o dever de defender a sua classe e o seu associado em relação a tudo aquilo que põe em causa a honestidade de uma equipa de arbitragem», José Fontelas Gomes, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), in TSF

O que este papagaio não afirmou, ou melhor, não quis afirmar, é que pertence a uma classe profissional (ou em vias de) que em toda a sua história só agiu de forma corporativa contra o Sporting Clube de Portugal. Senão vejamos:

arbitros 1

Quando fizeram greve a um Beira-Mar vs Sporting a contar para a época 2011\2012.

arbitros 2

Quando os colegas e dirigentes federativos aplaudiram um jogo que custou uma eliminação ao clube em virtude de 2 penaltis não assinalados.

ou quando:

azia

este senhor, antigo árbitro internacional, sentiu “azia” por ter roubado de igreja o Sporting num jogo em Chaves (2-2) a contar para a época 1998\1999 com 2 grandes penalidades não assinaladas e um golo limpo anulado a Beto num jogo que o próprio confirmou se ter sentido “perturbado, agastado e aborrecido”, ao ponto de ter admitido que os seus erros de avaliação poderiam ter ”prejudicado não só o Sporting, mas a classificação global do campeonato”.

Assertivamente afirmo que se podem traçar muitas analogias entre essa época e a actual época do Sporting. O Sporting de Jozic estava, no final da primeira volta do campeonato, em 1º lugar, a jogar o melhor futebol do campeonato. Como se isso não bastasse, poderia quebrar naquele ano a hegemonia de 4 títulos obtidos pela fruta fresca vinda do Norte. Na 2ª volta foi o raro o jogo onde não foi prejudicado pela arbitragem. Qualquer semelhança com a actual época do Sporting é portanto uma pura coincidência…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s